Campo Grande Sábado, 18 de Maio de 2024



Meio Ambiente Quarta-feira, 05 de Novembro de 2008, 15:03 - A | A

Quarta-feira, 05 de Novembro de 2008, 15h:03 - A | A

Combate aos crimes ambientais na Amazônia terá reforço da PF

Redação Capital News (www.capitalnews.com.br)

A partir de agora, o combate aos crimes ambientais na Amazônia contará com a participação da inteligência da Polícia Federal (PF). A contribuição de agentes da PF no combate ao desmatamento ilegal e nas ações de fiscalização efetuadas pelo Ibama será feita a partir do planejamento inicial das ações desencadeadas pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). O trabalho conjunto foi anunciado nesta terça-feira (4) pelos ministros, Carlos Minc, do Meio Ambiente, e Tarso Genro, da Justiça.

As atividades de fiscalização do Ibama e da PF serão realizadas principalmente nos entroncamentos da rodovias por onde transitam caminhões carregados de madeira ilegal (portais) e no exame detalhado dos planos de manejo entregues para a retirada legal de madeira.

De acordo com Minc, as ações do Ibama em conjunto com a PF integrarão o rol de medidas que vêm sendo anunciadas pelo MMA, nos últimos cinco meses, para o combate ao desmatamento na Amazônia. Minc lembrou os acordos feitos com vários setores produtivos no intuito de frear ação dos desmatadores. Entre eles os fechados com os madeireiros, os produtores de soja, os proprietários de frigoríficos e a indústria paulista.

Atualmente existem dois portais nos entroncamentos das principais rodovias de acesso à Amazônia. Os ministros da Justiça e do Meio Ambiente anunciaram a construção de pelo menos mais quatro portais.

O encontro entre Minc e Tarso Genro ocorreu no gabinete do ministro do Meio Ambiente e teve a participação dos delegados Luiz Fernando Correa, do Departamento de Polícia Federal (DPF), Hélio Derenna, do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPR), do presidente do Ibama, Roberto Messias, e do secretário- executivo do Ministério da Justiça, Luiz Paulo.

O ministro da Justiça, Tarso Genro, informou que, a partir de agora, o trabalho entre Ibama e Polícia Federal será realizado de forma mais articulada no planejamento das operações feitas pelo MMA. Vamos ter um trabalho de inteligência mais sólido, um trabalho de investigação consistente para que possamos atacar com firmeza os crimes ambientais. Até agora, o trabalho tem sido muito bom, mas já temos condições de avançar para uma nova etapa, disse.

Os ministros do Meio Ambiente e da Justiça anunciaram também a realização de concurso para a contratação de mais três mil fiscais para atuarem no combate aos crimes ambientais na Amazônia. Segundo Minc, este total de novas vagas será distribuído entre o Ibama, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Polícia Federal. O delegado da PF, Luiz Fernando Correa, disse que os novos concursados deverão trabalhar um tempo determinado na região Amazônica.  (ASCOM)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS