Campo Grande Segunda-feira, 20 de Maio de 2024



Interior Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008, 13:20 - A | A

Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008, 13h:20 - A | A

Assentamentos de Itaquiraí terão assistência técnica

Da redação (LM)

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) realizou, nesta sexta-feira (26), no auditório da sede da autarquia, em Campo Grande-MS, licitação para os serviços de assistência técnica (ATES) aos projetos de assentamento do complexo Santo Antonio. Dos 11 lotes de projetos de ATES colocados em licitação, oito foram concluídos e três deverão ser novamente colocados em edital. Nessa primeira etapa, o Incra vai investir R$ 2.030.546,66 em serviços de assessoria técnica, social e ambiental e na elaboração de planos de recuperação e desenvolvimento de assentamentos da reforma agrária O complexo Santo Antonio é formado pelos PA Itaquirai, Caburé-Y, Santo Antonio e Foz do Rio Amambaí e estão localizados no município de Itaquirai, a 345 quilômetros da capital.

A licitação ocorreu menos de dez dias depois do início da distribuição dos lotes entre as famílias beneficiadas. Na sexta-feira (12) houve sorteio das primeiras 83 parcelas do assentamento Itaquiraí, destinadas às famílias vinculadas à FAF (Federação da Agricultura Familiar) e dos 418 lotes do projeto Foz do Rio Amambai, reservados à Fetagri (Federação dos Trabalhadores na Agricultura). Nas outras duas unidades do grupo, Santo Antônio e Caburé-y, o sorteio dos 730 lotes restantes deverá acontecer em janeiro, tão logo os serviços de demarcação das áreas estejam concluídos.

Segundo o superintendente regional do Incra no Mato Grosso do Sul, Flodoaldo Alves de Alencar, para acelerar a geração de renda, a assistência técnica ocorrerá paralelamente ao Projeto de Desenvolvimento do Assentamento (PDA). Nos demais assentamentos, o PDA era elaborado antes da contratação dos técnicos e funcionava como uma espécie de prognóstico das atividades produtivas. “Resolvemos inverter essa lógica e contratar os técnicos ao mesmo tempo em que as famílias tomam conta das parcelas. Assim os profissionais irão orientar os agricultores desde o momento em que entrarem em sua terra”, defendeu Alencar.

Tempos difíceis
Para o casal Eunice e José Arena agora é hora de cultivar a terra. Naturais de Itaquiraí, eles garantem que não vão esquecer os sete anos morando em barracos à beira das estradas. “Foram tempos difíceis. A gente não conseguia trabalho e a principal fonte de sustento eram as cestas básicas”, contou Eunice. Mesmo assim, continuaram morando todos juntos, sem esquecer o estudo dos dois filhos pequenos. As crianças freqüentam a escola do assentamento vizinho, Santa Rosa, e, no dia do sorteio, estavam em férias na casa dos avós, por isso, não puderam compartilhar a alegria dos pais. Mas Eunice não abre mão de tê-los de volta assim que as aulas iniciarem. Afinal, agora a família terá um lugar certo para morar e produzir.

Primeira lavoura
A primeira lavoura dos Arena está garantida. Durante o sorteio de lotes do complexo Santo Antônio, cada beneficiário recebeu uma saca de 20 kg de milho para começar o plantio, aproveitando o período das chuvas no Estado. As sementes fazem parte de uma doação de duas mil sacas da Justiça Federal, obtidas em processos para regularizar dívidas tributárias.

Preocupação ambiental
Mas antes de iniciarem a lavoura, os moradores dos quatro projetos de assentamento irão proteger a mata nativa com cercas. Além dos 20% de reserva legal obrigatória, o local mantém mais 1,7 mil hectares repletos de árvores como peroba, angico e aroeira. Esse patrimônio será preservado e pode ser utilizado para compensar as exigências ambientais de outros assentamentos nos quais a floresta não seja tão significativa. (Assessoria)
 

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS