Campo Grande Quinta-feira, 23 de Maio de 2024


Economia Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008, 11:54 - A | A

Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008, 11h:54 - A | A

De volta a MS, Puccinelli faz balanço de sua ida à Itália

Lucia Morel - Capital News

De volta a Mato Grosso do Sul depois de 15 dias em reuniões e visitas a indústrias e empresas italianas, o governador André Puccinelli (PMDB) destacou que está confiante nas parcerias que podem surgir a partir das negociações realizadas.

Ele destacou que o Estado tem grandes chances de atrair investimentos e indústrias italianas, principalmente devido aos incentivos fiscais e tributários e também as belezas turísticas e . “Mostramos que o Estado é o melhor para se investir no Brasil”, declarou o governador, que mostrou aos italianos as potencialidades sul-matogrossenses na agropecuária, mineração, turismo, agroenergia e pequenas centrais hidrelétricas.

Apesar de a logística e o transporte ainda representarem um gargalo na questão econômica do Estado, a comitiva que acompanhou Puccinelli destacou, assim como o governador, que isso não deve representar um problema para os futuros investimentos, já que “dentro de três e no máximo cinco anos já teremos essas questões resolvidas. Estamos vencendo a logística”, referindo-se ao terminal intermodal de cargas que está sendo construído, o corredor bioceânico e a ferrovia que ligará MS ao porto de Paranaguá, no Paraná.

De todas as negociações, uma já está fortalecida no que se refere a estudos, uma vez que já em janeiro de 2009, uma indústria de cosméticos italiana virá ao Estado para analisar sua possível instalação em alguma cidade de MS, firmando parcerias locais para a produção dos produtos, “que são de primeira linha”, nas palavras da secretária de produção e turismo, Tereza Cristina Corrêa da Costa, que acompanhou o governador durante toda a viagem.

Outras possibilidades que têm grandes chances de se concretizarem são as indústrias de curtimento de couro e de agrobusiness que podem ser instaladas aqui, ou mesmo fazendo parcerias para compra e venda de produtos. “Temos que começar os acordos e parcerias de algum modo e os primeiros passos nós já demos”, afirmou o governador.

Um fato interessante que foi destacado pelo governador e por Tereza Cristina se refere à utilização que as indústrias italianas fazem dos produtos sem acabamento aqui de Mato Grosso do Sul, ou seja, eles beneficiam as matérias-primas importadas do Estado, produzindo produtos acabados de alta qualidade. “Eles se utilizam de nossos produtos e o que pretendemos agora é que eles possam realizar esse beneficiamento aqui no Estado, com instalação de suas indústrias aqui”, ressaltou a secretária de produção.

Crise
Com relação à crise econômica mundial, o governador disse que ela não deve atingir os investimentos e o consumo no Estado e mesmo no Brasil, “que está equilibrado dentro desse cenário”, diferente do que ocorre na Alemanha e no Japão, que já entraram em recessão. “Como estamos sendo pouco atingidos pela crise, a América do Sul e mais precisamente o Brasil serão os melhores locais para se investir”, garantiu o governador.

Além disso, André destacou que os investimentos não devem parar e é exatamente com a continuidade de obras de infra-estrutura que o País e também MS poderão passar por esse momento econômico com força.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS