Campo Grande 00:00:00 Segunda-feira, 22 de Julho de 2024


Agronegócio Sábado, 22 de Junho de 2024, 11:51 - A | A

Sábado, 22 de Junho de 2024, 11h:51 - A | A

Evento

“Mundo precisa de alimento e segurança”, afirma ministro durante Interagro

Setor agrícola é a maior fonte de competitividade do Brasil, disse Paulo Guedes

Elaine Oliveira
Capital News

O 4º Encontro Tecnológico do Agronegócio do Mato Grosso do Sul - Interagro - reuniu nomes importantes no cenário nacional. No segundo dia de evento iniciou com a palestra do ex-ministro da Economia, Paulo Guedes, que tratou sobre as perspectivas da expansão produtiva.

“O setor agrícola é a maior fonte de competitividade do Brasil. É o agro como um todo, a agroindústria como extensão. O mundo precisa de comida e a segurança alimentar está aqui. Isso ficou muito claro durante a pandemia. Nosso país é uma grande potência e outros países começam a entender isso”, explicou Guedes.

Em seguida, uma mesa-redonda reuniu Paulo Guedes, o presidente do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni; a senadora Tereza Cristina; o deputado federal e presidente da FPA (Frente Parlamentar da Agropecuária), Pedro Lupion; o presidente da Acrissul, Guilherme Bumlai; e o presidente do Sindicato Rural da capital e anfitrião do evento, Alessandro Coelho.

Bertoni compartilhou a experiência adquirida na 112ª Conferência da OIT (Organização Internacional do Trabalho), em Genebra, na Suíça, onde participou como integrante da delegação da CNA, na semana passada.

“O produtor rural tem que ser valorizado para ter mais reconhecimento pela sua competência, mostrando que o agro tem de melhor. O trabalho no campo não é feito por uma única pessoa, são várias. E nós precisamos ter esse corpo político que temos hoje, porque o Brasil é a bola da vez. Agora nós precisamos de um Posto de Defesa na União Europeia, para que eles conheçam cada vez mais o nosso setor.”, destacou Bertoni.

“O setor produtivo vive de ciclos. Hoje estamos com preços mais deprimidos e viemos depois da pandemia com aumento do custo dos insumos, além de problemas climáticos que resultaram na queda de produtividade. Essa união e organização do setor é que nos dá força para que a gente possa vencer todos esses desafios” afirmou a senadora Tereza Cristina.

“Não é possível que em pleno 2024 nós ainda estamos discutindo direito de propriedade. Nós deveríamos discutir sobre infraestrutura, escoamento de produção, conquista de novos mercados..., mas ainda discutimos o mínimo de segurança jurídica para nossos produtores rurais”, destacou o deputado federal, Pedro Lupion.

Sobre o Marco Temporal, Bertoni afirmou que “São mais de 10 milhões de hectares, fora o que está em estudo. E se nós fizermos as contas de R$20mil por hectare, são R$20 bilhões em pagamentos. Será que isso não vai frear essas invasões? Nós estamos indo para um caminho diferente de tudo que foi tentado anteriormente, para que talvez nós tenhamos um resultado diferente”.

O Interagro 2024 acontece até sábado (22), com palestras voltadas aos diversos aspectos do agronegócio e conta com estande institucional do Senar/MS.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS