Campo Grande Quinta-feira, 30 de Maio de 2024


Política Sábado, 13 de Dezembro de 2008, 11:44 - A | A

Sábado, 13 de Dezembro de 2008, 11h:44 - A | A

Senadores de MS embolsam meio milhão com ajuda de custo

Da Redação (JG)

Os senadores de Mato Grosso do Sul não têm o que reclamar. Além dos salários livres, auxílios e gratificações, que engordam a remuneração em valores estratosféricos, os senadores abocanharam de ajuda de custo este ano quase meio milhão. Eles consumiram em 10 meses (de fevereiro a novembro de 2008), segundo a prestação de contas divulgada no site do Senado, R$ 416.557,40.  

A verba indenizatória é toda despesa que no político faz e pode ser ressarcido. Ela compreende gastos com aluguel de imóveis para escritório político, locomoção, hospedagem, alimentação, combustíveis e lubrificantes; e aquisição de material de consumo para uso no escritório político, inclusive aquisição ou locação de software, despesas postais, aquisição de publicações, locação de móveis e de equipamentos.

Os senadores de Mato Grosso do Sul estão os que mais gastam no Senado. No ranking de gastos relativos aos senadores de Mato Grosso do Sul, Marisa Serrano (PSDB) é a campeã. Ela gastou e por isso foi reembolsada, mediante apresentação de notas e comprovantes de despesas, nada menos que R$ 149.064,85.

O senador Delcídio Amaral (PT) também é campeão em gastos de dinheiro público. Ele torrou para manter escritório político e custear despesas com transporte e material de consumo nada menos que R$ 148.443,16. Nesse valor não estão incluídas as despesas de janeiro e dezembro, que não são computadas pelo Senado em função do recesso parlamentar. Mas os senadores não cessaram os gastos nem no período eleitoral quando a produtividade deles é praticamente zero.

O senador Valter Pereira (PMDB) gastou entre fevereiro e novembro R$ 119.049,39.

O site Transparência, no entanto, apresenta totalização diferente do site do Senado. De acordo com os dados disponibilizados na internet, Marisa Serrano foi reembolsada em supostos gastos no exercício do mandato em R$ 149.062,00, Delcídio foi ressarcido em R$ 148.438,00 e Valter Pereira embolsou R$ 126.896,00, totalizando quase meio milhão em 10 meses de atuação. (Com informações da Tv Morena)

 

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS