Campo Grande Terça-feira, 16 de Abril de 2024


Política Quinta-feira, 27 de Abril de 2023, 08:58 - A | A

Quinta-feira, 27 de Abril de 2023, 08h:58 - A | A

Brasil, Chile, Paraguai e Argentina

Rota Bioceânica é reconhecida em quatro governos

A próxima reunião será realizada em novembro

Viviane Silva
Capital News

Divulgação/ Portal MS

Rota Bioceânica é reconhecida no quatro governos

A próxima reunião será realizada em novembro

Foi divulgado um documento pela província da argentina nesta quarta-feira (26) onde os governos brasileiro, paraguaio, argentino e chileno reconhecem a Rota Bioceânica (ou Corredor Bioceânico de Capricórnio) como uma realidade “tendo passado a instância de projeto”. O resultado foi obtido no 3º Fórum de Territórios Subnacionais do Corredor Bioceânico de Capricórnio. 

 

"Os resultados são concretos e visíveis em cada um dos países envolvidos na viabilização da Rota. Aqui na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai nós temos o avanço das obras da ponte que vai ligar Porto Murtinho a Carmelo Peralta e seguimos com o trabalho institucional do Governo do Estado junto ao governo federal, junto às prefeituras e demais parceiros", destacou o secretário Jaime Verruck, da Semadesc.

 

Conforme o documento, a Rota Bioceânica já é uma realidade em face do que “ficou evidenciado em cada uma das exposições que deram conta de dos investimentos realizados, bem como os prazos informados para a qualificação de cada um dos trechos para a operação completa do corredor”.

 

“Embora as cargas estejam circulando”, foi definido que seja implementado um “sistema de carga de teste que permita verificar os dados números apresentados, referentes à redução de tempos, ao impacto e à necessidade de promover o tráfego através do Pacífico, para que a transferência do mesmo seja realizada de forma eficiente e se torne uma realidade. Nesse sentido, há a necessidade de solucionar problemas regulatórios para todos os territórios, como controles fitossanitários, alfandegários, etc., para a unificação”.

 

As autoridades dos quatro países envolvidos, bem como seus territórios subnacionais, como Mato Grosso do Sul, acordaram em pensar a Rota “como um Corredor de Desenvolvimento de territórios, entendendo que cada uma das regiões terá um papel distinto função a um plano de integração maior, com possibilidade de agregar ao processo de internacionalização, para territórios locais, com o objetivo de capitalizar oportunidades de progresso em cada um deles”.

 

A próxima reunião será realizada na cidade de Iquique na segunda quinzena de novembro.

Comente esta notícia


Colunistas LEIA MAIS