Campo Grande Quinta-feira, 30 de Maio de 2024


Política Terça-feira, 23 de Dezembro de 2008, 13:36 - A | A

Terça-feira, 23 de Dezembro de 2008, 13h:36 - A | A

Projeto une PSDB, DEM e PPS no Estado

Da redação (LM)

O presidente regional do PSDB, deputado estadual Reinaldo Azambuja, confirmou entendimentos visando a formação de uma pacto político envolvendo seu partido, o DEM e o PPS em Mato Grosso do Sul, seguindo orientação da cúpula nacional tucana.

“Os tucanos devem consolidar a parceria já firmada em nível nacional com o Democratas e o PPS. Já conversamos com a Luiza (Ribeiro – presidente do PPS), e com o Murilo [Zauith, presidente do DEM) e ficou acertado que em 2009 estaremos empenhados neste projeto nacional que vai buscar a eleição de um presidente tucano”, comentou Azambuja, destacando a afinidade dos líderes partidários.

Apesar de integrar hoje a base aliada do governador André Puccinelli (PMDB), essas três legendas devem buscar outro caminho nas eleições de 2010, deixando de apoiar à reeleição do líder peemedebista, caso permaneça a regra da verticalização das alianças partidárias para o próximo pleito.

Verticalização é um processo político recente, surgido em 1998, no qual os partidos políticos ficam obrigados a reproduzir nas eleições estaduais as mesmas alianças partidárias que tiverem feito na eleição presidencial.

Isto ocorre devido a um entendimento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o artigo 6º da Lei Federal 9.504 de 30 de setembro de 1997, que versa sobre as normas para as eleições.

Esse mecanismo impede que partidos adversários na eleição à Presidência se aliem nos Estados. Ou seja, se apoiar o PT em 2010, o PMDB não poderá se aliar ao PSDB em nenhum Estado. Nem ao DEM, que deverá compor a chapa à Presidência com os tucanos.

Rotatividade

Após o recesso parlamentar, o PSDB deverá cumprir com a chamada rotatividade em sua bancada, indicando como novo líder na Assembléia Legislativa o deputado estadual Professor Rinaldo, conforme confirmou Azambuja.

No início do mandato, a liderança da bancada foi exercida por Azambuja, que passou a atribuição a Márcio Fernandes depois de sua posse como presidente regional do PSDB. Fernandes ocupou a função até o início do recesso parlamentar, após a votação de todas as matérias em tramitação da Casa, inclusive o “pacote de medidas” enviado pelo governo e o Orçamento Geral do Estado de 2009.

Azambuja avalia positivamente a participação da bancada este ano. Para o próximo biênio, o PSDB fica novamente com a segunda secretaria, desta vez a ser ocupada pela deputada Dione Hashioka.

Ele disse que os deputados que compõem a bancada tucana atuaram satisfatoriamente, tanto nas comissões permanentes quanto na Mesa Diretora e no trabalho parlamentar individual. Segundo ele, a participação de cada um nas comissões será redefinida, devendo ocorrer em uma das primeiras sessões do ano.

“Vou buscar dar continuidade ao trabalho, conduzindo com retidão a liderança como fizeram os colegas que me antecederam”, afirmou Rinaldo, destacando a importância da união e parceria, estabelecidas desde o inicio pelos quatro parlamentares que compõe a bancada tucana.

Dione Hashioka, que já teve sua primeira participação na Mesa Diretora, na ultima sessão do ano, fazendo a leitura da ata de encerramento dos trabalhos da Casa, se disse preparada para assumir as funções.

Contente em poder ser a representante do partido na Mesa Diretora, a deputada destaca que as funções foram bem executadas até então pelo colega Professor Rinaldo.

Márcio Fernandes, por sua vez, destacou como de grande importância para seu crescimento político a atuação na liderança do partido. (Conjuntura Online)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS