Campo Grande/MS, Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Terça-Feira, 22 de Outubro de 2019, 15h:33
Tamanho do texto A - A+

Deputados debateram sobre instalação de CPI de energia

Intuito é investigar os critérios de cobrança de energia elétrica no Estado

Adriana Ximenes
Capital News

Divulgação

Ordem do dia: Deputados aprovam 28 projetos

Deputados durante a sessão desta terça-feita

Durante a Ordem do Dia desta  terça-feira (22), os deputados estaduais discutiram sobre  possibilidade de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os critérios de cobrança de energia elétrica no Estado. Coronel David (PSL) fez um requerimento relacionado ao assunto.

 

Debateram sobre o assunto os parlamentares João Henrique (PL), Capitão Contar (PSL), Pedro Kemp (PT), Evander Vendramini (PP), Cabo Almi (PT), Zé Teixeira (DEM) e Gerson Claro (PP).

 

“Tem gato de energia na conta de energia”, afirmou João Henrique na tribuna. Ele argumentou que o requerimento apresentado hoje pelo deputado Capitão Contar (PSL) para abertura de CPI deve ser assinado pelos deputados. O parlamentar Coronel David, também nesta sessão, apresentou requerimento relacionado ao tema, para coletar informações na Assembleia de Rondônia a respeito do que foi feito naquele estado para investigar a cobrança de energia, a fim de se tomar as providências em Mato Grosso do Sul.

 

O deputado João Henrique afirmou que enviou treze perguntas para a Energisa sobre os critérios de cobrança de energia, e a resposta foi curta e evasiva. O deputado questiona as razões de aumento de valores em contas de energia elétrica. Para Capitão Contar, as tentativas de colher explicações já elevaram o tema à necessidade de abertura da CPI. “Nós participamos de duas audiências públicas e a ANNEL - Agência Nacional de Energia Elétrica e Energisa não explicaram as razões de aumento nas tarifas”, afirmou Contar.

 

 

Cabo Almi, por sua vez, afirmou que é necessário exigir solução, porque muitas vezes os relatórios de CPI não progridem em benefício da população com ações concretas. Para Zé Teixeira, será preciso ouvir o governo, pois o custo da energia inclui impostos e a ANEEL deverá se envolver na questão. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix