Campo Grande 00:00:00 Domingo, 14 de Julho de 2024


Política Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2022, 16:09 - A | A

Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2022, 16h:09 - A | A

Novo Governo

Com Haddad e Dino, Lula anuncia cinco ministros do futuro governo

Presidente eleito antecipou divulgação de nomes e outros devem ser mostrados após a diplomação

Agência Brasil
Wellton Máximo

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Lula Ministro

Presidente eleito Lula, vice Geraldo Alckmin e futuros ministros no novo governo

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva anunciou nesta sexta-feira (9) os cinco primeiros ministros do futuro governo. Os nomes foram apresentados no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Brasília, onde está instalado o gabinete de transição.

 

Segundo Lula, alguns nomes foram antecipados para que possam montar as equipes. “Preciso que algumas pessoas comecem a trabalhar para montar a estrutura do governo e para que o governo comece a funcionar”, disse.

 

Os futuros ministros serão os seguintes:

 

Casa Civil: Rui Costa, governador da Bahia até dezembro

Fazenda: Fernando Haddad, ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo

Defesa: José Múcio Monteiro, ex-ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) e ex-ministro de Relações Institucionais

Justiça e Segurança Pública: Flávio Dino, senador eleito pelo Maranhão e ex-governador do estado

Relações Exteriores: Mauro Vieira, ex-chanceler e embaixador do Brasil na Croácia

 

Os demais ministros serão anunciados na próxima semana, após a cerimônia de diplomação de Lula e do vice-presidente eleito Geraldo Alckmin. Originalmente, a equipe do futuro governo só seria anunciada após a diplomação, mas Lula decidiu antecipar alguns nomes após a aprovação no Senado da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Transição.

 

Após anunciar os nomes, Lula disse que todos os ministros, até agora, são homens e prometeu mais diversidade na apresentação dos próximos cargos, a partir da semana que vem. “Vai chegar uma hora em que vocês vão ver mais mulheres do que homens e muitos afrodescendentes”, declarou.

 

O adiantamento dos nomes pretende desfazer impasses no Ministério da Defesa e agilizar as negociações na tramitação da PEC da Transição na Câmara dos Deputados. Na semana passada, Lula disse que estava com “80% do ministério na cabeça”, mas informou que a montagem definitiva da equipe dependia de negociações.

 

Em relação ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, Lula disse que pretende desmembrar a pasta no futuro, mas que, no primeiro momento, Flávio Dino concentrará as duas pastas. Segundo ele, caberá ao futuro ministro reestruturar as carreiras da Polícia Rodoviária Federal e reduzir a interferência política nas forças de segurança.

 

Em rápido discurso após ser confirmado no cargo, Dino informou ter indicado a Lula o delegado Andrei Rodrigues para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. Segundo o futuro ministro, Rodrigues tem experiência em investigações sobre a Amazônia, participou de diálogos com estados e municípios e atuou nos esquemas de segurança da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

 

Em relação à indicação sobre os futuros comandantes militares, Lula informou que o novo ministro da Defesa conversará com os nomes sondados para fazer os convites. Ao sair do CCBB, Múcio informou que pretende reunir-se com o atual presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, e os atuais comandantes das Forças Armadas na próxima semana.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS