Campo Grande Quarta-feira, 29 de Maio de 2024


Esporte Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008, 09:49 - A | A

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008, 09h:49 - A | A

Inter e Estudiantes começam a decidir a Sul-Americana

Redação Capital News (www.capitalnews.com.br)

Depois de sua primeira vitória sobre o Boca Juniors em La Bombonera, o Internacional quer marcar outra façanha em terras argentinas na noite desta quarta-feira: derrotar o Estudiantes no Ciudad de La Plata, no jogo de ida da final da Copa Sul-Americana, às 21h (de MS). Nesse estádio, o time local não perde há 45 partidas.

Tudo aponta para um confronto nivelado por cima. Se o Estudiantes tem o grande maestro Veron e destaques como Benítez, Galvan e Boselli, o Inter levou Alex, D’Alessandro, Guiñazú e Nilmar, entre outros.

Os dois times passam por ótimo momento, estão descansados e atuarão praticamente com suas forças máximas. O Inter vem disputando o Brasileiro com o time B, pouco se importando com derrotas - as duas ultimas, para Santos e Fluminense. O Estudiantes intercala equipe reserva com mista. No último domingo, derrotou o Tigre poupando cinco titulares. O único desfalque da equipe argentina é o volante Braña, expulso contra o Argentinos Juniors. Entra Sánchez.

O respeito é mútuo. O técnico colorado Tite viu os dois jogos em que o Estudiantes eliminou o Argentinos Juniors (1 a 1 e 1 a 0) e, além do talento de Veron, destacou a organização tática da equipe.

- Como nós, eles jogam com uma linha de quatro atrás e um losango no meio-de-campo. Na frente é que há variações - analisou Tite.

Leonardo Astrada, técnico do adversário, pede atenção máxima com as estrelas coloradas.

- Não podemos descuidar nunca de Nilmar e Alex, e é fundamental não deixar D’Alessandro pensar - ressaltou Astrada, receoso de levar contra-ataques.

O treinador da equipe argentina, inclusive, mostrou que está por dentro do Inter e que estudou a fundo o que será necessário para sair de campo com o resultado positivo.

- É uma equipe que pressiona e marca muito. Não podemos lhes dar espaço, pois eles têm jogadores que deequilibram - afirmou ao jornal "Ole".

O desempenho do Inter na Copa Sul-Americana vem crescendo. Começou com empates com o misto do Grêmio - 1 a 1 e 2 a 2 - e com o Universidad Católica - 1 a 1 e 0 a 0 - mas aí ele, Inter, atuando com reservas.

A equipe veio se encaixar das quartas-de-final para cá, quando só venceu: 2 a 0 e 2 a 1 no misto do Boca Juniors e 2 a 0 e 4 a 0 no Chivas Guadalajara. Para Tite, a explicação para o crescimento é simples: o entrosamento melhorou muito, principalmente com D’Alessandro, Alex e Nilmar.

O jogo final está marcado para o Beira-Rio, dia 3 de dezembro, às 22h. Na final, o gol fora de casa deixa de valer como critério de desempate. Saldos de gol iguais levam para prorrogação e, se necessário, pênaltis.

- O importante é voltarmos de La Plata vivos, isto é, com um placar que se possa inverter, caso sejamos derrotados - afirmou o vice-presidente de futebol Giovanni Luigi.

Esse é o discurso oficial do Internacional - humilde, respeitador. Mas é só da boca para fora. A confiança é de que pelo menos um empate é possível conseguir no Ciudad de La Plata.

FICHA TÉCNICA:
ESTUDIANTES X INTERNACIONAL

Estádio: Ciudad de La Plata (La Plata, ARG)
Data-hora: 26/11/2008 - 21h (de MS)
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)
Auxiliares: Manuel Bernal (PAR) e Emigdio Ruiz Roa (PAR)

ESTUDIANTES: Andújar, Angeleri, Alayes, Desábato e Díaz; Galvan, Veron, Sánchez Benítez; Salgueiro e Boselli. Técnico: Leonardo Astrada.

INTERNACIONAL: Lauro; Bolívar, Índio, Álvaro e Marcão; Edinho, Guiñazu, Magrão e D’Alessandro; Nilmar e Alex. Técnico: Tite.

(Fonte: Lance Net)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS