Campo Grande Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Economia Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008, 17:52 - A | A

Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008, 17h:52 - A | A

Redução do IPI aumenta em 100% venda de carros novos

Da redação (LM)

As vendas de carros zero no primeiro final de semana após a redução do IPI (Impostos sobre Produtos Industrializados) aumentaram até 100%. A GM, no Rio Grande do Sul, comercializou 771 veículos neste sábado e domingo. No fim de semana anterior, foram vendidas 350 unidades. Volkswagem e Ford não divulgaram ainda os balanços, mas informaram que as vendas também reagiram por conta do pacote anunciado pelo governo na última quinta-feira. Além da redução do imposto, as montadoras apostam em bônus e promoções para os clientes.

Os ministros da Fazenda, Guido Mantega; e do Desenvolvimento, Miguel Jorge, além do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, anunciaram, em Brasília, a redução de impostos para carros 0 km. Carros até 1.000 cilindradas tiveram o tributo suspenso. Para veículos acima de 1.000 até 2.000 cilindradas, houve dois tipos de redução, de acordo com o combustível que utilizam. A alíquota caiu de 13% para 6,5% para aqueles movidos somente à gasolina. Para os equipados com motor flex ou álcool, a alíquota caiu de 11% para 5,5%.

Já para picapes até 1.000 cilindradas, independente do combustível que usam, a alíquota do IPI foi reduzida de 8% para 1%. Picapes com mais de 1.000 cilindradas até 2.000 mil cilindradas tiveram o imposto reduzido de 8% para 4%. Carros com mais de 2.000 cilindradas não tiveram redução de IPI.

A GM fez feirão neste sábado e domingo em três locais - em Gravataí (RS), Belo Horizonte (MG) e São Caetano do Sul, no ABC Paulista. Em Belo Horizonte, onde não tem fábrica, foram comercializados 317 veículos. No Rio Grande do Sul, foram vendidos 771 carros, um recorde em finais de semana desde agosto de 2007. O gerente de marketing da GM no Estado, Juliano Cunha, disse que apenas no feirão de fábrica em Gravataí, foram comercializados 448 carros 0 km.

“Isso é para mostrar que o mercado deu uma reagida. Aqueles que queriam comprar carro em meados de outubro, seguraram a compra e viram agora a nova oportunidade. Acumulou cerca de dois meses uma demanda reprimida”, disse Cunha.

Segundo o gerente, a montadora não anunciou preços para este feirão. “Anunciamos nota fiscal de fábrica do Celta e do Prisma. A gente também anunciou, além da redução do IPI, que a compra ia ser limitada por CPF”, disse Cunha. Apesar de o volume de venda de carros populares ter sido maior, (os modelos) Astra e Vectra também tiveram boa comercialização, conforme Cunha. (Fenabrav)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS