Quarta-feira, 29 de Maio de 2024


Economia Quarta-feira, 17 de Dezembro de 2008, 16:23 - A | A

Quarta-feira, 17 de Dezembro de 2008, 16h:23 - A | A

Preço do gás natural não corresponde com o momento de crise

Da Redação (JG)

O grande problema do gás natural no Brasil, no momento, é o preço elevado diante do cenáriode desaceleração econômica mundial, disse ontem (16), no Rio, o presidente do Conselho de Energia da Firjam (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), Armando Guedes Coelho.

Eleinformou que a Petrobrasdeverá apresentar até o final do ano, em caráter de urgência, resposta ao documento encaminhado pela Firjan ao governo fluminense e às distribuidoras de gás pedindo adequação dos preços atuais à nova realidade econômica.
O processo em vigor prevêque os preços tivessem acréscimos futuros.

“E isso está acontecendo exatamente no período que está na contramão da economia”, analisou Armando Guedes Coelho. Ele revelou que o processo que se acha em discussão na Petrobras é de “tentativa de congelamento dos preços do gás natural, pelo menos até uma partedo ano que vem”.

A idéia é que a fórmula de cálculo das tarifas do gás natural seja alterada, visando a “dar um mínimo de equilíbrio, um mínimo de ajuste a essa área, de forma tal que as empresas possam conviver com essa questão, que é muito complicada”.

Segundo estudo da Firjan, divulgado no mês passado, a indústria do Rio de Janeiro estaria sendo afetada de forma negativa pelos sucessivos reajustes desse insumo praticados em plena crise pela estatal.

Pelas contas do governo, o gás vai subir em torno de 17% no Rio de Janeiro até novembro de 2009. Em novembro passado, já foi aplicado reajuste de 6,03%. E um novo reajuste, de 6,28%, estaria previsto para ocorrer em fevereiro próximo. (Agência Brasil)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS