Campo Grande Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Economia Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008, 16:21 - A | A

Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008, 16h:21 - A | A

Campo Grande é a 15ª capital mais rica do Brasil

Lucia Morel - Capital News

Levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios brasileiros em 2006, divulgado hoje, aponta Campo Grande como a 38ª cidade brasileira com maiores riquezas. Já em relação as capitais, aparece em 15º lugar e na região Centro-Oeste perde apenas para Goiânia (GO) e para o Distrito Federal, que responde por 43% do PIB regional.

Entre os 78 municípios de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, assim como outras capitais brasileiras, detém mais de 50% das riquezas do Estado, com 55,3%. Em todo País, dos 5.564 municípios, apenas 50 detinham quase metade de toda riqueza produzida no Brasil.

Os outros quatro municípios do Estado que apresentam maior PIB, na ordem, são: Corumbá, Dourados, Três Lagoas e Nova Andradina.

Quanto ao PIB per capita (valor as riquezas por habitante), no entanto, Campo Grande está em 15ª posição entre as capitais. Com uma população de 765 mil habitantes, o PIB per capita é de R$ 10.244,00. Cuiabá, capital de Mato Grosso, é a 10ª capital com maior PIB per capita – R$ 13.244,00. A população de Cuiabá é de 543 mil habitantes.

O levantamento sobre o PIB (soma das riquezas, bens e serviços) mostra que a lista dos municípios mais ricos em 2006 era liderada por São Paulo, que somava 11,94% das riquezas, seguido pelo Rio de Janeiro (5,4%) e Brasília (3,78%). Campo Grande representava, em 2006, 0,33% das riquezas nacionais. Cuiabá corresponde a uma fatia de 0,30%.

Todas as capitais do Sudeste e Sul (e nenhuma do Nordeste) tinham PIB per capita superior ao brasileiro. No Norte, a única capital com PIB per capita superior ao brasileiro foi Manaus (AM) enquanto no Centro-Oeste, Campo Grande (MS) era a única capital com PIB per capita inferior ao brasileiro.

Entre os 50 municípios que concentravam maior participação do PIB em 2006, 16 eram de São Paulo, o que corresponde a 32% do total. O Rio de Janeiro tem cinco na lista, contra quatro do Paraná, quatro de Minas Gerais, três do Rio Grande do Sul e três da Bahia.

Concentração
Na maioria dos estados das regiões Norte e Nordeste, os cinco maiores municípios em relação ao PIB concentravam mais do que 50% da riqueza do estado. As exceções foram Tocantins e Bahia, que apresentaram taxas de 47,3% e 48%, respectivamente.

Nessa mesma comparação, a maior concentração do país foi verificada no Amapá, onde os cinco maiores municípios participavam com 88,3% do PIB do estado em 2006. Na seqüência, aparece o estado do Amazonas, com 87,7%.

O Sudeste não apresentou padrão específico, mas os cinco maiores municípios do Espírito Santo e do Rio de Janeiro concentravam mais de 65% do PIB dos seus estados.

As menores participações ocorreram em Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os cinco municípios mineiros de maior PIB detinham 36,6% das riquezas do estado. Em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o percentual chegou 35,3% e 36,2%, respectivamente. (Com informações do IBGE)

ACESSE A PUBLICAÇÃO COMPLETA AQUI.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS