Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 16 de Junho de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Sábado, 13 de Março de 2021, 11h:32
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Especialistas sugerem educação pela TV em tempos de pandemia

Por Aline Reis

Da coluna Educação e Carreira
Artigo de responsabilidade do autor

Aulas no ambiente virtual já são uma realidade, mas televisão ainda é melhor forma de tornar educação na pandemia mais acessível

iStock

ColunaEducaçãoECarreira

Desde o início da pandemia do Covid-19, um dos maiores desafios que o setor da educação vem enfrentando é a transição das aulas presenciais para o ambiente virtual. Tudo foi muito rápido, e as escolas, tanto públicas, como particulares, não tiveram muito tempo para planejar essa mudança, o que resultou em milhões de alunos da rede pública sem aulas por meses.


Um ano se passou desde que a pandemia começou, e agora a maioria das escolas já se consolidou melhor no ambiente virtual, mas isso ainda é um problema e pauta de muitas discussões. O acesso à internet ainda não é algo democratizado no Brasil e muitos jovens não possuem internet em casa, ou sequer dispõem de algum dispositivo que tenha acesso à rede. A solução que alguns governos estaduais encontraram foi transmitir aulas pela televisão, como foi o caso da iniciativa Escola em Casa, onde os residentes de Brasília podiam acompanhar aulas do ensino infantil até o ensino médio no canal TV Justiça.


Ainda assim, foram poucos os estados que aderiram a esta alternativa, e muitos estudantes da rede pública foram prejudicados. Agora que um novo ano letivo já está em andamento, outras mudanças, visando integrar os estudos à televisão, estão em andamento. A primeira delas permite que emissoras comerciais possam utilizar o recurso de multiprogramação em seus canais, disponível para aqueles que têm acesso à TV digital.


A medida dá mais liberdade para que as secretarias de educação fechem parceria com uma diversidade maior de canais – desde estatais até comerciais – para a transmissão das teleaulas. Além disso, acordos de cooperação e compartilhamento de programação entre estados também já estão sendo firmados. O Centro de Mídias de Educação do Amazonas, que produz conteúdo educativo voltado para comunidades de difícil acesso, também transmitirá suas aulas em São Paulo e no Espírito Santo.


Ainda não se sabe por quanto tempo essas medidas de aulas remotas serão necessárias, já que não temos previsão de quando toda a população brasileira poderá ser vacinada. Porém, certamente, tais alternativas podem ser aprimoradas e entrar em vigor como algo recorrente no futuro pós-pandemia.


Isso vai de encontro com a especialização dos professores, que já estão acostumados com um sistema de ensino muito bem definido e agora enfrentam desafios. Todos foram forçados a se adaptar a este “novo normal”, então quem está cursando uma faculdade de pedagogia pode enfrentar essas dificuldades em um futuro não tão distante, mas com maior preparo.

 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix