Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 19 de Abril de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Sábado, 06 de Fevereiro de 2021, 12h:35
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Crianças apresentam metade do risco de contaminação de Covid-19, diz estudo

Por Pérola Cattini

Da coluna Bem-Estar
Artigo de responsabilidade do autor

Estudo concluiu que crianças pequenas podem aumentar o risco de pessoas próximas contraírem o Covid-19

Divulgação

ColunaBem-Estar

Desde o início da pandemia de Covid-19, pesquisadores já haviam descoberto que as crianças não correm os mesmos riscos que os adultos e, por isso, estariam mais seguras. Porém um novo estudo, publicado em janeiro pelo periódico britânico The Lancet, comprovou que crianças e adolescentes podem ser menos suscetíveis ao vírus, mas são mais propensas a transmiti-lo.


O estudo foi realizado em Wuhan, na China, onde pesquisadores do Controle e Prevenção de Doenças de Wuhan observaram quase 40 mil casos de Covid-19 distribuídos em milhares de famílias – todos com início entre a primeira e a terceira semana de dezembro de 2020.


Os dados coletados permitiram aos pesquisadores concluir que bebês com menos de 1 ano são mais propensos a serem infectados pelo vírus do que crianças mais velhas, e que idosos com mais de 60 anos são mais suscetíveis a infecções que os jovens, especialmente aqueles com menos de 20 anos. Acredita-se que isso acontece porque os bebês não possuem um sistema imunológico completo e ficam mais expostos a agentes externos.


Porém isso não significa que toda criança e adolescente é assintomática. O que acontece é que a maioria que apresenta sintomas acaba tendo uma reação leve e sem risco de doenças graves, o que muitas vezes pode ser subestimado e descartada a possibilidade de ser Covid-19. O problema é que as pessoas que convivem com essas crianças acabam sendo colocadas em risco, já que existem mais chances de contrair o vírus nessa situação.


Esse é um fator muito preocupante, especialmente para aqueles que convivem com pessoas idosas dentro de casa. Com a reabertura gradual das escolas e o retorno das aulas presenciais, as chances de as crianças contraírem o vírus são muito maiores, colocando todos da família em um risco desnecessário.


Quanto aos bebês, os cuidados precisam ser redobrados. O ideal seria mantê-los dentro de casa o tempo inteiro, mas somente essa medida não garante segurança, já que outra pessoa pode trazer o vírus de fora. Sendo assim, é importante tomar cuidado com roupas, fraldas e quaisquer outras coisas do bebê que possam transmitir o Covid-19 dentro de casa.


A vacinação já começou em dezenas de países, mas ainda é muito cedo para baixar a guarda. O vírus continua assolando milhões de pessoas pelo mundo e levará um tempo até que todos possam ser devidamente vacinados. Até lá, as medidas de segurança precisam continuar sendo seguidas à risca.

 

 



 


 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix