Campo Grande Quinta-feira, 30 de Maio de 2024


Rural Segunda-feira, 08 de Dezembro de 2008, 14:41 - A | A

Segunda-feira, 08 de Dezembro de 2008, 14h:41 - A | A

Iagro certifica frigorífico de Sidrolândia para abate de ovinos

Da redação (LM)

Com um abate experimental realizado no último sábado (6), a Agência de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) certificou o único frigorífico que atualmente está abatendo ovinos no Estado. Na unidade, localizada em Sidrolândia, foram investidos R$ 30 mil para adequação da estrutura que deverá abater mil animais/mês. Toda a produção será destinada ao mercado interno, pois a unidade possui apenas Serviço de Inspeção Estadual (SIE).

Monitorado por três fiscais da Iagro e acompanhado pela secretária Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (Seprotur) e o secretário adjunto, Paulo Angel, o primeiro abate serviu para avaliar as adaptações da planta que já abate bovinos. Ao todo 53 cabeças de ovinos foram abatidas (todos manchos semi-precoces, 8/12 meses, pesando em média 18 kg carcaça).

A capacidade de abate da unidade é de 300 animais/dia, porém, conforme explicou Martinho Marques de Souza, responsável pelo departamento comercial da indústria, “as escalas para abate de ovinos acontecerão somente aos sábados, permanecendo o abate de bovinos de segunda a sexta-feira”. Ainda segundo Souza, para o próximo sábado já está previsto o abate de 150 cabeças.

TROCA DE OVINOS
Todos os animais abatidos na escala experimental pertencem ao Projeto Troca de Ovinos, desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur) em parceria com a Fundação Manoel de Barros.
Segundo explicou a secretária executiva da Câmara Setorial de Ovinos vinculada a Seprotur, Mariana Gilberti, o Projeto consiste na distribuição de matrizes, sendo assim todos machos são destinados ao abate comercial - conforme estabelece o convênio - e o lucro deste serve para custeio de despesas relacionadas à alimentação e sanidade do rebanho, entre outros.

SOBRE O SETOR
Para a secretária Tereza Cristina, muitos produtores ainda não enxergam a atividade como uma opção de renda. “Como o mercado está exigente o que falta é padronização, e para isso precisamos de investimentos em tecnologia e genética”, garante ela destacando que hoje o Estado desenvolve iniciativas no sentido de organizar o setor, a exemplo dos Arranjos Produtivos Locais implantados em Ponta Porã e na Capital (Embrapa Gado de Corte).

O potencial da atividade é visível, mas conforme Mariana Gilberti o rebanho estadual ainda é pequeno e por isso a constância no fornecimento de animais é visto como um gargalo para a atividade. Segundo dados do IBGE (2006) a população de cordeiros em Mato Grosso do Sul é de aproximadamente um milhão de cabeças e o rebanho nacional é de 16 milhões.

Além do frigorífico de Sidrolândia outras três unidades são habilitadas para abater ovinos no Estado, todas com Serviço de Inspeção Federal (SIF): Frigorífico JS, em Campo Grande (abate exclusivo de ovinos, mas se encontra desativado), Frigorífico Tatuibi, em Cassilândia (planta mista, atualmente abate só bovinos) e Frigorífico Andrade, em Nova Andradina (planta mista, atualmente abate só bovinos).

Informações comerciais pelo telefone (67) 3304-5000.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS