Campo Grande Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Interior Quarta-feira, 03 de Dezembro de 2008, 09:34 - A | A

Quarta-feira, 03 de Dezembro de 2008, 09h:34 - A | A

Sindicato denuncia ALL por más condições de segurança

Da redação (LM)

O Sindicato dos Trabalhadores das Empresas Ferroviárias de Bauru, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul denunciou a empresa ALL (America Latina Logítica) de utilizar material sucateado, sem a mínima condição de segurança na recuperação da malha que vai viabilizar o trem de passageiros ligando Corumbá a Bauru. Sindicalistas afirmam que trem nunca sairá do projeto e acabará virando lenda. A empresa concessionária da Novoeste alegou que as declarações do sindicato são infundadas.

“Desde o início das obras, em abril deste ano, já foram investidos mais de R$10 milhões na recuperação do trecho. Neste processo, foram substituídos mais de 12 mil metros de trilhos perfil 37, em boas condições de tráfego e com total segurança para a operação. O material é proveniente de pátios inoperantes e justamente por isso, encontra-se em bom estado de conservação. A mudança é feita com autorização da agência reguladora, ANTT”, diz a nota.

A ALL explica que, também foram aplicados 65 mil novos dormentes e outros 15 mil serão substituídos até o final do Projeto, totalizando aproximadamente 80 mil dormentes entre Indubrasil – Miranda. As equipes já concluíram as obras de nivelamento da linha em 100% do trecho de 78 km entre Aquidauana e Miranda, correspondentes a 1ª fase do projeto, previsto para entrar em operação até abril de 2009, e outros 23 km entre Indubrasil e Aquidauana, 2ª fase do projeto ,com operação prevista até o 2o semestre de 2009. Também estão sendo executados trabalhos de roçada ao longo do trecho além dos trabalhos normais de manutenção.

Segundo a ALL atualmente, 160 homens trabalham no Projeto. “O atraso na conclusão da primeira etapa da obra é resultado da pouca mão-de-obra especializada na região. A execução dos trabalhos por equipe especializada é uma exigência da ALL ,para garantir a qualidade do serviço e a segurança nas operações nos padrões técnicos necessários para o tráfego ferroviário de cargas e passageiros”. (Sylma Lima - Capital do Pantanal)
 

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS