Campo Grande Quinta-feira, 30 de Maio de 2024


Educação Terça-feira, 30 de Dezembro de 2008, 13:10 - A | A

Terça-feira, 30 de Dezembro de 2008, 13h:10 - A | A

Pais terá 38 novos institutos federais de educação em 2009

Da Redação

Ao sancionar nesta segunda-feira (29), a lei que cria 38 institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, disse que o desafio do país é fazer de 2009 o melhor ano da educação. Na educação profissional, o objetivo é chegar a 2010 com 354 escolas técnicas em funcionamento, 214 delas construídas em seu governo.

 

Em Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado está abrindo 35 novos cursos profissionalizantes nas escolas estaduais em diversos municípios. Serão abertas mais de mil vagas em 2009. Em alguns locais, as inscrições estão abertas. Para as inscrições, é necessário acessar o site www.sed.ms.gov.br .

 

Com os institutos federais e os cursos profissionalizantes do governo do Estado, o país consolida ações para a educação profissional e amplia as oportunidades de educação a milhares de jovens e adultos em todos as unidades da Federação, disse o presidente. De acordo com Lula, o Brasil vive um momento importante na área de ciência e tecnologia e a educação profissional, qualificando mão-de-obra, dá lastro para o desenvolvimento econômico e social.

 

Os institutos, que se apóiam na infra-estrutura da rede de educação profissional existente, promovem mudanças não só pela ampliação dos campi, mas, principalmente, por aumentar as oportunidades de formação aos jovens. Até 2010, quando a expansão da educação profissional se completa, o país abrirá 500 mil vagas nas diferentes modalidades de ensino, da educação média integrada à formação superior em tecnologia.

 

Abrangência

Presentes nos 26 estados da Federação e no Distrito Federal, os institutos iniciam as atividades com 168 campi. Em 2010, quando plenamente implantados, esse número chegará a 311. Nesse mesmo prazo, as vagas serão ampliadas de 215 mil para 500 mil.

 

A rede vai destinar metade das vagas para o ensino médio integrado à educação profissional; na educação superior destinará 30% das vagas aos cursos de engenharias e bacharelados tecnológicos; 20% das vagas para as licenciaturas em ciências da natureza (física, química, biologia e matemática); incentivará as licenciaturas com conteúdos específicos da educação profissional e tecnológica (mecânica, eletricidade e informática); na pesquisa e extensão vai estimular a busca de soluções técnicas e tecnológicas.

 

Os 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia foram criados a partir da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, que é formada pelos centros federais de educação tecnológica (Cefets), escolas agrotécnicas federais e escolas técnicas vinculadas às universidades. (Com assessoria)
.
 

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS