Campo Grande/MS, Sábado, 21 de Setembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Economia
Quarta-Feira, 11 de Setembro de 2019, 15h:39
Tamanho do texto A - A+

Pedrossian Neto diz que Refiz ultrapassou meta com R$ 36 milhões

O valor previsto era de R$ 30 milhões.

Adriana Ximenes
Capital News

Deurico/Capital News

 Déficit da Prefeitura chega a R$30 milhões e Marquinhos terá ano difícil e desafio de arrumar a casa

O secretário de Finanças, Pedro Pedrossian Neto

O programa Pagamento Incentivado conhecido como “Refis” ultrapassou a meta com cerca de R$36,6 milhões, sendo que o previstos era de R$ 30 milhões. O secretário de Finanças, Pedro Pedrossian Neto disse que programa termicou batendo recorde.

Em entrevista ao Capital News, o secretário afirmou que antes mesmo do prazo final, as  negociações  já haviam batido a meta de R$ 31 milhões. “O programa já encerrou e não temos previsão de volta para o ano que vem” comenta.


Pré-sal


Questionado sobre o dinheiro do Pré-sal que Campo Grande pode receber, o secretário diz que não tem nada certo. “Esperamos um valor de R$ 16,6 milhões dos recursos arrecadados nos leilões do pré-sal, mas só vamos ter certeza depois do dia 6 de novembro, data que será ocorrerá o leilão, nosso intuito é receber esse dinheiro até final do ano” comenta.

O dinheiro será investido para pagamento de servidores ativos e inativos, compra de medicamentos, aposentados e pensionistas, manutenção das vias urbanas, entrando para o caixa único da prefeitura. “Mas vale ressaltar, que temos uma estimativa, não podemos contar com esse dinheiro tendo em vista que temos que esperar o resultado arrecadado.

Conforme o secretário, a expectativa é de o leilão possa arrecadar mais R$ 100 bilhões e a fração que Campo Grande pode receber é uma estimativa de R$ 16,6 milhões. “Precisamos deixar claro que o dinheiro não vai resolver os problemas financeiros da Capital, ele vem para ajudar  nesse momento de crise, a união estendeu as mãos para os estados e municípios, mas ainda de forma insuficiente diante do aprofundamento da recessão” concluiu.

Indagado pela equipe, se o dinheiro não entrasse, como a prefeitura ia fazer para custear os gastos e pagar os funcionários, Pedrossian Neto diz. “O Estado já está em inadimplência, de modo que ela pode ficar maior ou menor, se MS receber o dinheiro do leilão vai ajudar muito nesse momento de crise’ frisou

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix