Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 07 de Maio de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 04 de Março de 2021, 10h:53
Tamanho do texto A - A+

Motoristas de aplicativo prometem paralisação nacional em protesto a alta do combustível

Represente tem expectativa de agenda com secretário do governo do Estado em busca de um ‘entendimento e negociação’

Elaine Silva
Capital News

Deurico/Capital News

Foto ilustrativa de Trânsito, IPVA

Manifesto a nível nacional deve acontecer na próxima semana

Após abastecer R$ 0,50 em protesto a alta da gasolina na última quarta-feira (03) e realizar manifestação pela avenida Afonsa Pena, motoristas de aplicativo planejam na próxima semana uma carreata a nível nacional, “estamos entrando em contato com entidades de outros Estados para que possamos fazer um ato a nível nacional”, afirma ao Capital News, Paulo Pinheiro, representante da Associação dos Motoristas de Aplicativos de Mato Grosso do Sul.

O ‘grande ato’ é para “sensibilizar o Poder Público”. “Um grande ato dia 17/03, para tentarmos sensibilizar o poder público e as plataformas de transporte de passageiros individual, e contamos com a ajuda da população, pois essa luta não é apenas nossa, mas de toda uma sociedade que nos tempos atuais é de fundamental importância", segundo Pinheiro.

Paulo falou sobre uma conversa com o secretário do Governo de Mato Grosso do Sul, para “buscar um entendimento com o Governo do Estado, sabemos das dificuldades que todos estão passando, mas nossa categoria atualmente é de fundamental importância, na questão da mobilidade urbana. A negociação é para o governo diminuir a alíquota dos combustíveis que é muito alta no Mato Grosso do Sul". O representa ainda relatou que no “um grande ato dia 17/03, para tentarmos sensibilizar o poder público e as plataformas de transporte de passageiros individual, e contamos com a ajuda da população, pois essa luta não é apenas nossa, mas de toda uma sociedade que nos tempos atuais é de fundamental importância".

Em relação a carreta da última quarta, Pinheiros relatou que "na realidade isso nunca resolveu porque desde 2017 fizemos vários e nunca obtivemos resultado positivo, porque a bolha se encontra nos cartéis eles não perdem 00,1 centavo, pelo contrário querem ganhar mais e mais, é um jogo de empurra empurra, e quem sofre com tudo isso é a nossa categoria e a própria população que depende desse serviço essencial, principalmente neste momento de pandemia que estamos passando", finaliza.

Deurico/Capital News

Foto ilustrativa de gasolina, Etanol, alcool, carro flex, dois combustíveis

Gasolina foi 'congelada' na semana passada

 

“Congelamento" da gasolina
Articulação entre o Governo do Estado e o Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniências de Mato Grosso do Sul) garante aos consumidores o congelamento da pauta fiscal da gasolina, que é o preço médio ponderado que serve de referência para a cobrança do ICMS. Isso vai segurar o aumento de R$ 0,15 no preço do combustível, sendo que só em 2020 foram 19 reajustes autorizados pela Petrobras.

Mato Grosso do Sul é um dos seis estados que aplicam a alíquota de 12% para o óleo diesel. E de acordo com a pesquisa da ANP feita na segunda semana deste mês, o Estado tem o oitavo menor preço médio para este combustível: preço médio de R$ 3,838. Em Paraíba o valor cobrado gira em torno de R$ 3,846; São Paulo (R$ 3,855); Amazonas (R$ 3,872); Goiás (R$ 3,902) e Minas Gerais, R$ 3,916.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix