Campo Grande/MS, Domingo, 25 de Agosto de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quarta-Feira, 12 de Junho de 2019, 07h:29
Tamanho do texto A - A+

Funcionário que tentou envenenar patrão vai a júri

Crime aconteceu em 2009, no Bairro Nova Campo Grande

Elaine Silva
Capital News

Deurico/Arquivo Capital News

Foto ilustrativa de justiça, dama da justiça, estatua, fórum, TJMS

Julgamento acontece ás 9 horas, desta quarta-feira (12)

Acontece nesta quarta-feira (12), o júri popular do réu J.A.L. dos S., acusado de tentativa de homicídio em relação ao empresário R. da S.M. e seu pai G.R.M., com emprego de veneno. O crime aconteceu em um frigorífico no bairro Nova Campo Grande, no horário de trabalho das vítimas. 

 

O crime aconteceu dia 16 de dezembro de 2009, por volta das 9 horas. As vítimas ingeriram suco de laranja no estabelecimento, que foi servido pela funcionária deles. Logo após, começaram a sentir náuseas, vômitos, sudoreses e tonturas, motivo pelo qual buscaram atendimento médico, onde foram medicados com suspeita de envenenamento.

 

Conforme o processo a copeira S.S. foi intimada para prestar depoimento e esclareceu que, no dia dos fatos, o réu A.L. dos S. disse que queria falar com ela, indagando-a se ela comia da fruta e do suco de seu patrão, ela respondeu que sim, momento em que o acusado a orientou para não comer e não tomar do suco. Conta que quando começou a preparar a bebida, o acusado chegou a porta da copa e perguntou se tinha álcool, ela disse que sim, e que ficava no banheiro, e o réu pediu para ela pegar. Alega que, antes mesmo dela sair do interior do banheiro, o réu já estava no corredor atrás dela,  momento em que entregou o álcool e retornou até a copa para terminar a bebida.

 

Sustenta ainda que, quando terminou o suco, levou até o empresário G.R.M. e o pecuarista A.L. dos S. e, ao retornar para a copa, percebeu que a bebida estava estranha, com um cheiro muito forte assemelhado a tinner, então voltou para a sala das vítimas e pediu para que elas não bebessem tal suco, pois estava com cheiro esquisito, porém eles já haviam tomado. Revela que recolheu a bebida, e logo em seguida eles começaram a sentir mal estar, dizendo que estavam com a cabeça tonta, momento em que foram socorridos e levados até o hospital.

 

De acordo com a assessoria diante do exposto, o juiz titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluizio Pereira dos Santos, pronunciou o réu J.A.L. dos S., no artigo 413 do Código de Processo Penal. E no artigo 121, § 2º, inciso III c/c art. 14, inciso II (tentativa de homicídio, com emprego de veneno), em relação às duas vítimas R. da S.M. e G.R.M.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix