Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 03 de Março de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 17 de Janeiro de 2021, 12h:23
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Urban jungle: tendência crescente nas redes sociais promove a criação de uma floresta em casa

Por Letícia Emori

Da coluna Casa e Decoração
Artigo de responsabilidade do autor

Estilo lembra a importância de se manter conectado com a natureza

Divulgação

ColunaMarcoEusébio

O contato com a natureza, especialmente para quem mora dentro de grandes cidades, é sempre positivo. Apesar disso, a rotina apertada nem sempre permite esses momentos de pausa e conexão com o verde, e se torna cada vez mais necessário criar estratégias para a melhorar a qualidade de vida. A decoração dos ambientes internos da casa pode ser uma grande aliada em casos desse tipo, fazendo toda a diferença por meio de ideias simples.

Uma tendência em alta nos últimos anos e que foi impulsionada durante a pandemia causada pelo novo coronavírus é a de transformar a casa em uma selva particular. Nesse caso, as plantas assumem o papel de protagonista da decoração, indo além de somente um acessório ornamental. Esse movimento, chamado de urban jungle, se tornou febre em redes sociais como o Instagram e o Pinterest e ressalta a importância do contato com a natureza e dos momentos de pausa na rotina – espaços entre as obrigações que podem ser usados para regar e podar as plantas, por exemplo.

Como montar sua urban jungle
Encher a casa de plantas pode parecer uma tarefa simples, mas demanda alguns cuidados que se mostram essenciais para garantir a beleza das espécies escolhidas. O primeiro passo é avaliar o espaço disponível para montar a minifloresta, que pode ser feito em um único cômodo ou na casa toda. É importante conferir quantas horas de luz solar o lugar recebe por dia, além do nível médio de umidade e temperatura, assim como outras questões, como a presença de animais e crianças na casa.

Todos esses fatores vão ajudar a definir quais espécies de plantas e flores serão incluídas na coleção. Plantas tóxicas, por exemplo, devem ser colocadas em locais altos, caso haja crianças ou animais em casa. Dependendo da quantidade de luz e espaço, poderão ser incluídos diferentes tipos de plantas. Entre as mais populares estão a costela-de-adão (Monstera deliciosa), a peperômia-filodendro (Peperomia scandens) e a samambaia-americana (Nephrolepis exaltata), que demandam alguns cuidados simples e costumam se adaptar rapidamente à maioria dos ambientes.

Para dar o aspecto de floresta, uma ótima estratégia é posicionar os vasos das plantas em diferentes alturas, evitando deixar todas elas em uma mesma superfície. Cachepôs, banquinhos, caixotes de feira e outros itens podem servir como apoio para os vasos, deixando alguns mais altos e outros mais abaixo, dando a impressão de que o cômodo está completamente preenchido.

É possível incluir plantas e flores de espécies típicas de diferentes partes do Brasil. Basta procurar uma floricultura em Londrina, Holambra ou Campo Novo do Parecis, por exemplo, que faça a comercialização para outras cidades. Nesse caso, é importante ficar atento às informações de venda e tempo de envio do produto, diminuindo as chances da planta se machucar durante a viagem.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix