Quinta-feira, 23 de Maio de 2024



Rural Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008, 10:44 - A | A

Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008, 10h:44 - A | A

MS é o 5º maior produtor de Etanol do Brasil

Da redação (LM)

Mato Grosso do Sul termina 2008 como o quinto maior produtor de etanol do Brasil e o sétimo de açúcar, segundo o superintendente de Indústria e Comércio da Seprotur (Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo), Jonathas Soares de Camargo.

Segundo Camargo, o Estado possui atualmente 13 usinas em operação, que têm uma capacidade instalada para a produção de 1,5 milhão de metros cúbicos de álcool por ano e de 1,1 milhão de toneladas de açúcar. Até o final de 2008, mais uma usina deverá entrar em operação, totalizando 14 em funcionamento, comenta.

O superintendente de Indústria e Comércio revela que até 2010 pelo menos mais dez novas usinas devem entrar em atividade, totalizando 24 em operação e com capacidade para a produção anual de 2,6 milhões de metros cúbicos de etanol e 1,8 milhão de toneladas de açúcar.

Nosso Estado com certeza será um dos principais produtores de açúcar e álcool do País, ocupando a segunda posição no setor, pelos projetos que temos em negociações e pelas condições de produção favorecidas pelo clima e logística. É certo que, temos uma agropecuária forte, e isso é muito bom ,sendo a cana mais uma alternativa para o campo e o processo de industrialização do Estado vem crescendo e se diversificando a cada ano que passa, ganhando impulso recente com o desenvolvimento acelerado do setor de agroenergia, analisa.

A dimensão do crescimento do setor, conforme explica Camargo, pode ser dada pela estimativa de crescimento da área plantada com cana-de-açúcar no Estado que hoje é de 296 mil hectares e deve passar na próxima safra para 423.280 hectares, um aumento de 43%.

Outro dado revelado pelo superintendente é o da geração de empregos no segmento. Estimativa da Seprotur é que o setor empregue entre a produção da cana-de-açúcar no campo e o processamento nas usinas, aproximadamente 30 mil pessoas. (Diário MS)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS