Campo Grande Quinta-feira, 23 de Maio de 2024


Rural Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008, 16:03 - A | A

Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008, 16h:03 - A | A

Incra adquire seis imóveis para reforma agrária em MS

Redação Capital News (www.capitalnews.com.br)

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) assegurou a incorporação de mais 8,5 mil hectares para a reforma agrária em Mato Grosso do Sul esta semana. São seis imóveis com capacidade total para 480 famílias e investimento de 24 milhões por parte da União.

No dia 17, o Incra foi imitido na posse das áreas, Canoas I e III e Arapuá. Esse tipo de procedimento judicial ocorre nas desapropriações e permite que o instituto inicie os trâmites para transformar a área em assentamento imediatamente.

As fazendas Canoas I e III ficam no município de Selvíria, possuem 4,8 mil hectares e capacidade para assentar 305 famílias. O processo desapropriatório foi iniciado em julho de 2006, com a assinatura de um decreto presidencial declarando os imóveis de interesse social. Enquanto isso, os estudos preliminares sobre a fazenda Aruapuá, de 1,4 mil hectares em Três Lagoas, indicam que o imóvel poderá abrigar cerca de 70 famílias. Nesse caso, o decreto presidencial destinando à área à reforma agrária foi publicado a menos de um ano, em janeiro de 2008.

Os outros três imóveis, Três Piúvas, Rancho Alegre e Torre de Pedra, localizam-se no município de Corguinho, a 90 quilômetros de Campo Grande e foram adquiridas pelo Incra por meio do Decreto 433, de 1992, que regulamenta a compra. A primeira, Rancho Alegre, totaliza 502 hectares destinados a 25 famílias.

A Torre de Pedra contabiliza 761 hectares e 39 novas famílias e a aquisição da Três Piúvas, de mil hectares significa a inclusão de 42 famílias à reforma agrária.
“Essas inclusões significam que já estamos preparando novas áreas para o próximo ano”, declarou o superintendente regional do Incra em Mato Grosso do Sul, Flodoaldo Alencar. (Assessoria)
 

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS