Campo Grande Quinta-feira, 23 de Maio de 2024


Rural Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2008, 18:22 - A | A

Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2008, 18h:22 - A | A

Assentados serão beneficiados com programa agroecológico

Da Redação (LM)

O ano de 2009 começará com boas perspectivas para 200 famílias assentadas de Campo Grande, Terenos e Sidrolândia. Elas integrarão o PAIS – Produção Agroecológica Integrada. O projeto permite ao pequeno produtor rural exercer uma atividade diversificada para subsistência, sem uso de agrotóxico e que pode ter o excedente comercializado como produto orgânico. A participação dos municípios foi oficializada na manhã dessa sexta-feira (12.12), com a assinatura do convênio com a Fundação Banco do Brasil e o Sebrae/MS, que investirão mais de um milhão de reais nesta iniciativa.

“Maior do que o investimento que a Fundação está fazendo, é o retorno para as famílias, pois estamos investindo num novo caminhar para esses assentados”, analisou o superintendente do Banco do Brasil, Caio Neves em referência aos R$ 800 mil a ser aplicados pela FBB. Neves está ciente de que as parcerias são fundamentais neste tipo de projeto. “Sem elas [as parcerias], nada disto aconteceria e não estaríamos aqui construindo uma nova filosofia de trabalho”, admitiu.

O superintendente do Sebrae/MS, Cláudio Mendonça fez coro às palavras de Neves. Ele citou, como exemplo, a situação de uma assentada que, depois de ser abandonada pelo marido, viu no PAIS possibilidades reais de sustentar a família. Passados alguns meses, as expectativas da agricultora se concretizaram e, hoje, ela tem uma renda mensal suprior a R$ 700,00. ‘É um custo muito baixo, quando vemos auto-suficiência de cada família”, considerou Mendonça.

Segundo o presidente da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), José Roldão, esse setor passou a ter prioridade para o Governo do Estado. “Nós vamos orientar o produtor a desenvolver o projeto e a essa interação entre os órgãos é extremamente importante para que isto aconteça. A agricultura familiar tem um papel preponderante em todo o mundo e em Mato Grosso do Sul não é diferente”, afirmou Roldão.

Em sua fala, o prefeito Nelson Trad Filho lembrou de sua ida a municípios cearenses, quando foi surpreendido pelos projetos implantados numa região tão árida. “Pelas nossas características de clima e solo, temos todas as condições de avançar muito com um projeto como este. Já temos 30 famílias beneficiadas, agora serão mais cem e isto dará um avanço muito grande no campo”, previu Nelsinho ao final da solenidade.

O projeto - A metodologia de cultivo do PAIS é bastante acessível. Não é preciso ter conhecimentos técnicos para começar a produzir. “O sistema de produção é construído em forma circular, composto por uma horta, um quintal agroflorestal e uma criação de aves caipiras no centro. A irrigação é pelo método de gotejamento e a adubagem através do escoamento do esterco pelo galinheiro. O quintal é uma área complementar, destinada à produção de frutas, grãos e outras culturas”, explicou o consultor do Sebrae/MS, Aroldo de Almeida Silva.
O Sebrae se compromete em levar capacitação para os produtores, além de acompanhamento na produção. As 200 famílias escolhidas para receber o benefício foram indicadas pelas prefeituras e se enquadram no perfil de assentados, quilombolas e proprietários de pequenas áreas de terra. Esta é uma extensão de um projeto que vem colhendo bons resultados em 140 unidades já instaladas em Campo Grande, Sidrolândia, Miranda e Nioaque. (Prefeitura Municipal)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS