Campo Grande Segunda-feira, 24 de Junho de 2024




Reportagem Especial Segunda-feira, 03 de Junho de 2024, 11:56 - A | A

Segunda-feira, 03 de Junho de 2024, 11h:56 - A | A

Fortalecimento

Conscientização sobre abuso sexual se expandiu e atravessou fronteiras de Mato Grosso do Sul

Balanço do Maio Laranja deste ano traz atuações do projeto em São Paulo e Rio de Janeiro

Juliana Rezende
Capital News

Projeto Nova Transforma

Conscientização sobre abuso sexual se expandiu e atravessou fronteiras de Mato Grosso do Sul

Bonecos e linguagem lúdica ajudam crianças a compreender o que é o abuso sexual, e como comunicá-lo de forma segura

Desde quando teve início, em 2017, a campanha contra o abuso e a violência sexual de crianças e adolescentes, organizada pelo Projeto Nova Transforma, de Campo Grande, coloca o assunto em pauta e mira, cada vez mais, na queda no número de vítima por meio das ações do Maio Laranja. Este ano, por exemplo, a programação da campanha atravessou os limites de Mato Grosso do Sul e chegou a centros maiores, como Rio de Janeiro e São Paulo.

Palestras lúdicas infantis embasadas no livro Estrelas na Cabana e Pipo e Fifi, incluindo atividades educativas para adolescentes com ferramentas de audiovisuais, foram ministradas pela equipe do projeto. Adultos também foram capacitados para identificar crianças violentadas. Uma das apresentações ocorreu em uma instituição de São Paulo com quase 500 crianças e adolescentes.

Projeto Nova Transforma

Conscientização sobre abuso sexual se expandiu e atravessou fronteiras de Mato Grosso do Sul

Jovens assistem palestra ministrada pela coordenadora da campanha, Viviane Vaz, em São Paulo

Projeto Nova Transforma

Conscientização sobre abuso sexual se expandiu e atravessou fronteiras de Mato Grosso do Sul

Live reuniu mais de 70 Ongs brasileiras para ampliar o debate sobre a violência sexual

O cronograma teve início no começo de maio, mas segundo Viviane Vaz, psicanalista e coordenadora do projeto, as ações da campanha se finalizam no dia 2 de junho. O balanço do Maio Laranja de 2024, de acordo com Viviane, é a expansão do projeto, que, agora, está mais conhecido no País.

“Fomos ao Rio de Janeiro e São Paulo em ações com a parceria do poder público e de Ongs locais. Também promovemos uma live com mais de 70 Ongs de todo o Brasil e  lançamos um novo videoclipe, além de uma pulseira de silicone na cor laranja”, detalha.

Projeto Nova Transforma

Conscientização sobre abuso sexual se expandiu e atravessou fronteiras de Mato Grosso do Sul

Informação também foi levada às comunidades cariocas

Dados alarmantes revelam que a cada hora, 13 crianças e adolescentes são explorados sexualmente no Brasil, sendo que apenas 7% dos casos são denunciados. Dessas vítimas, 75% são meninas, predominantemente negras, enquanto os meninos são mais frequentemente vítimas entre 3 e 9 anos de idade.

Silencioso, o crime sexual fragiliza. Na contramão, a campanha abre o caminho de comunicação e encoraja. Foi por meio das ações do Maio Laranja que uma jovem adolescente relata a dor vivida na infância. Na sombra escura do silêncio, ao ouvir uma palestra, ela entendeu o que havia vivido.

“Fui abusada pela primeira vez em 2011. Eu não sabia o que era abuso, só sabia que tinha que guardar segredo. Era o que ele me falava. Esse segredo me machucava tanto, mas ele dizia que mataria quem eu mais amava se eu contasse algo, então eu não tinha coragem de contar para ninguém. Aquilo me machucava tanto que eu, com apenas oito anos, entrei em depressão”.

As marcas da violência sexual prejudicaram a infância, trazendo solidão e uma vida sem sentido para a jovem menina. Ainda no depoimento, ela diz a equipe do projeto, que desejou a morte.

“Não acreditava em mais nada e nem em ninguém, nem em Deus. Mas eu tinha um sonho, queria que, ao chegar aos 15 anos, se Deus realmente existisse, eu viesse a morrer. Pois não tinha sentido viver. Mas no dia 05 de maio de 2018 conheci uma mulher, ela falava sobre o abuso. Na palestra, conforme ela falava, eu ia entendendo e eu só sabia chorar. Descobri que eu tinha alguém para contar". Assim, a garota identificou os motivos de suas dores e, por fim, um ambiente seguro para expor a violência vivida.

“Hoje em dia eu sou totalmente diferente. No dia 5 de maio fez sete anos que conheci a melhor pessoa do mundo. Que me conhece melhor que eu mesma e nunca desacreditou de mim. Pela terapia entendi que não tive culpa do que fizeram comigo quando eu era uma criança e 101% dessa culpa pertence a ele [agressor]”.

No comando das estratégias para dissolver e quebrar o tabu que ronda a violência sexual, Viviane reforça a importância da campanha. “O Maio Laranja coloriu o mês em prol desta importante causa, representando uma libertação para casos reais de crianças que encontraram coragem para buscar ajuda após participarem de palestras. Muitas vezes sofrendo abusos em silêncio e dentro da própria casa, com a família”.

Nos lugares onde a campanha foi levada, Viviane conta que percebeu mais abertura para debater o tema. A participação em contextos religiosos, segundo ela, também proporcionou mais mobilização. “O entendimento das consequências do abuso sexual para as igrejas pode fazer com que os membros possam ser mais acolhidos e saber como agir diante de um caso em sua comunidade”, finaliza.

Projeto Nova Transforma

Conscientização sobre abuso sexual se expandiu e atravessou fronteiras de Mato Grosso do Sul

Alunos de escola de Campo Grande também ouviram mais sobre a campanha Maio Laranja

O Projeto Nova Transforma em Campo Grande é um dos locais que atende famílias em situação de vulnerabilidade social, de abuso e exploração sexual. Por meio de atividades socioeducativas e atendimentos psicológicos, as ações promovem qualidade de vida e autonomia das famílias.

Projeto Nova Transforma

Conscientização sobre abuso sexual se expandiu e atravessou fronteiras de Mato Grosso do Sul

Palestra ministrada na rede pública de proteção à infância na cidade de Pirassununga, em SP

Denuncie casos de abuso e violência sexual de forma segura nos seguintes canais:

• Polícia Militar - telefone 190: quando a criança está correndo risco imediato
• Samu - telefone 192: para pedidos de socorro urgentes
• Delegacias especializadas no atendimento de crianças ou de mulheres ou qualquer delegacia de polícia
• Disque 100: recebe denúncias de violações de direitos humanos. A denúncia é anônima e pode ser feita por qualquer pessoa
• Conselho tutelar: todas as cidades possuem conselhos tutelares. São os conselheiros que vão até a casa denunciada e verificam o caso. Dependendo da situação, já podem chegar com apoio policial e pedir abertura de inquérito.
• Profissionais de saúde: médicos, enfermeiros, psicólogos, entre outros, precisam fazer notificação compulsória em casos de suspeita de violência. Essa notificação é encaminhada aos conselhos tutelares e polícia: [email protected]
• WhatsApp do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos: (61) 99656- 5008
• Unidades do Ministério Público

• Leia também:
Maio laranja: campanha visa combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes | Reportagem Especial

Serviço

Há 12 anos o Nova Transforma é um programa de tratamento para crianças e adolescentes vítimas de violência e exploração sexual e oferece, gratuitamente, assistência nas áreas de psicologia, esporte, educação, arte terapia, culinária e empreendedorismo. Além de conduzir a superação dos traumas e dores emocionais, são oferecidas ações de fortalecimento de vínculos familiares, geração de renda para as mães, cultura e lazer.

Mais informações podem ser obtidas via Whatsapp, pelo número: (67) 3324-4200, ou no site do projeto: http://projetonova.com. Endereço: Rua Bernardo Franco Baís, 515, na Vila Carvalho. Perfil no Instagram @projetonova.

Projeto NOVA - Institucional - Atendimento a vítimas de abuso sexual

 • Saiba mais sobre o Projeto Nova Transforma

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS