Campo Grande 00:00:00 Quinta-feira, 25 de Julho de 2024


Nacional Domingo, 23 de Junho de 2024, 12:55 - A | A

Domingo, 23 de Junho de 2024, 12h:55 - A | A

Covid-19

Covid-19: Entre 10 e 20% dos pacientes desenvolvem ‘Covid longa’

Na primeira quinzena de maio, o Brasil recebeu doses que protegem da variante XBB

Brasil 61
Lívia Braz

Tosse, febre, dor de cabeça, cansaço. Sintomas que acometem a maioria das pessoas que pegam Covid-19 e que se curam totalmente após um período de cerca de uma semana. Mas nem todo mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 10% e 20% das pessoas que tiveram infecção desenvolveram alguma complicação prolongada da doença — também conhecida como “Covid longa”.

Quem explica como a Covid Longa age no organismo é o médico infectologista do Hospital de Base de Brasília, Tazio Vanni.

“São sintomas que não são agudos, sintomas mais de médio e longo prazo, que estão relatados uma série de possíveis sintomas das condições pós-Covid, por exemplo, cansaço, dificuldade de sono, alteração relacionada à memória, entre outras.”

Um estudo feito por uma pesquisadora da Fiocruz Minas mostra que fadiga, tosse persistente e dificuldade para respirar foram os sintomas mais comuns por quem desenvolveu a Covid longa. As sequelas foram mais comuns em pacientes que tiveram Covid leve ou moderada em todas as faixas etárias — de 18 a 94 anos. Mas alguns relatos de ansiedade, mudança na pressão arterial e trombose foram registrados em uma parcela menor da população.

O Movimento Nacional pela Vacinação, campanha encabeçada pelo Ministério da Saúde, entrou em nova etapa e pretende vacinar ao menos SETENTA MILHÕES de pessoas contra a Covid-19. Na primeira quinzena de maio, o Brasil recebeu doses que protegem da variante XBB. Esse lote foi distribuído para todas as Unidades da Federação.

Procure uma Unidade Básica de Saúde, leve a caderneta e vacine-se contra a Covid-19.

Para mais informações, acesse: www.gov.br/saude.

Disponível em: brasil61.com

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS