Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 27 de Junho de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Meio Ambiente
Segunda-Feira, 14 de Março de 2022, 14h:29
Tamanho do texto A - A+

Geração de bioeletricidade aumenta 365% em sete anos no MS

Incentivo à produção de energia elétrica à partir da cana de açucar busca zerar emissão de carbono até 2030

Rogério Vidmantas
Capital News

Edemir Rodrigues/Semagro

Usina Chapadão

Usinas que produzem bioeletrcidade ganham isenção em impostos

O Mato Grosso do Sul caminha para atingir a meta de ser um território que neutraliza suas emissões de carbono até 2030, segundo previsto no Plano Estadual MS Carbono Neutro. Neste sentido, o incentivo para a produção da bioeletricidade, energia elétrica gerada a partir da biomassa de cana-de-açúcar, nos últimos sete anos, fez com que a produção no Estado tenha aumentado 365% neste período. 

 

Esse resultado contribui para o Programa Estadual de Incentivo ao Desenvolvimento das Fontes Renováveis de Produção de Energia Elétrica (MS Renovável) que tem por objetivo estimular a implantação ou ampliação de sistemas geradores de energia em Mato Grosso do Sul, a partir de fontes renováveis, como eólica, termossolar, fotovoltaica, pequenas centrais hidrelétricas, biomassa, biogás, hidrogênio, entre outras fontes alternativas. Os beneficiados com o programa terão isenção tributária.

 

De acordo com os dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em Mato Grosso do Sul existem 17 unidades sucroenergéticas em operação que fazem a cogeração de bioeletricidade para o seu consumo próprio. Dessas, 11 unidades (64%) exportam o excedente para o Sistema Interligado Nacional (SIN), que é responsável pela rede de distribuição de energia em todo o país. O bagaço e a palha da cana-de-açúcar são dois subprodutos reutilizados para essa finalidade nas indústrias sucroenergéticas. 

 

A entrega de bioeletricidade ao SIN pelas unidades sucroenergéticas teve início em 2009. Nos últimos sete anos, por exemplo, a entrega de bioeletricidade a partir da cana por Mato Grosso do Sul saltou 631 mil MWh (Megawatt-hora) para 2,3 milhões MWh (Megawatt-hora), mais que triplicando.

 

Estratégico

Governo de MS/Aquivo

Jaime Verruck

Semagro estimula uso de fontes renováveis de energia, diz Verruck

Até o final do primeiro semestre de 2022, a Semagro deve criar a Câmara Setorial de Energia Renovável para elaborar e publicar o plano de ações adicionais, tendo como foco o estímulo ao uso de fontes renováveis de energia. “A geração de bioeletricidade a partir da biomassa de cana-de-açúcar é muito expressiva em Mato Grosso do Sul. Já temos usinas certificadas com o selo do Renovabio e o Governo do Estado reconhece o papel estratégico do setor sucroenergético para atingirmos a meta de nos tornarmos Estado Carbono Neutro até 2030”, comenta o secrectario Jaime Verruck. 

 

De acordo com o Presidente do Conselho Deliberativo da Biosul, Amaury Pekelman, a cogeração de bioeletricidade tem se destacado cada vez mais pela sua potencialidade em termos de sustentabilidade. “A bioeletricidade gerada a partir da biomassa da cana traz ganhos ambientais e econômicos. Se trata de uma fonte de energia limpa e renovável que proporciona segurança energética e contribui para a redução das emissões de gases que causam o efeito estufa, reforçando a participação das usinas que operam no Estado em programas como o RenovaBio”, ressalta.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix