Campo Grande Quarta-feira, 29 de Maio de 2024


Interior Segunda-feira, 08 de Dezembro de 2008, 10:23 - A | A

Segunda-feira, 08 de Dezembro de 2008, 10h:23 - A | A

Jucems começa a operar com certificação digital em 2009

Redação Capital News (www.capitalnews.com.br)

A partir de março de 2009, a Junta Comercial de Mato Grosso do Sul (Jucems) estará implantando a certificação digital, reduzindo, desta forma, o prazo de registro de empresas para o usuário e gerando custos menores para guarda, conservação e impressão dos documentos armazenados eletronicamente. “O sistema trará maior agilidade, facilitando o nosso trabalho e das empresas. Esse é o primeiro estágio para digitalizar todos os arquivos da junta”, explica o diretor-presidente da Jucems, Wagner Bertoli. 

Os softwares com dois certificados digitais (e-CPF) e um certificado digital para servidores foram entregues, dia 21 de novembro , à Jucems pelo presidente da Federação Nacional dos Contabilistas (Fenacon), Valdir Pietrobon. A Fenacon assinou convênio com o Departamento Nacional do Regimento do Comércio para fornecer esses certificados às Juntas Comerciais de todos os estados brasileiros com objetivo de que a instrução normativa número 109 do departamento seja cumprida, iniciando o processo de certificação nesses locais. 

A certificação digital é um mecanismo de segurança capaz de garantir autenticidade, confidencialidade e integridade às informações eletrônicas. “Cada servidor da Jucems terá uma identificação, uma chave única assim como o usuário. Ao mesmo tempo que o uso da chave privada autentica uma transação ou um documento, ela confere o atributo de não-repúdio à operação, ou seja, o usuário não pode negar posteriormente a realização daquela transação. Por isto, é importante que o usuário tenha condições de proteger de forma adequada a sua chave privada”, explica o gestor da Divisão de Gestão da Informação da Jucems, Valdevino de Oliveira Costa. 

De acordo com ele, para o usuário a certificação trará mais comodidade e agilidade na transação de documentos, redução no prazo do registro e facilidade de acesso aos documentos digitais registrados. “Uma grande empresa, por exemplo, que tem 80 livros, não precisará trazer todos os livros para certificar na Jucems”, conta Valdevino. 

Para a Jucems, as principais vantagens são a maior segurança no armazenamento de documentos digitais; custos menores para guarda, conservação e impressão dos documentos armazenados eletronicamente; menos trânsito de papéis; liberação de pessoal para outras tarefas e diminuição das possibilidades de fraudes nos documentos registrados. “A junta terá um barateamento de custos e uma menor demanda”, finaliza o gestor

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS