Campo Grande Quinta-feira, 30 de Maio de 2024


Interior Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008, 07:44 - A | A

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008, 07h:44 - A | A

Internos do Semi-Aberto terão aulas de empreendedorismo

Da Redação (JG)

Internos do Estabelecimento Penal de Regime Semi-Aberto Urbano de Campo Grande iniciam hoje (21) a participação no Projeto “Nascer Bem”, uma parceria entre a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), por meio do Patronato Penitenciário da Capital, e o Sebrae/MS.

Com o projeto, os internos vão aprender como fazer um planejamento de abertura de uma empresa, solicitar financiamentos, e receberão noções de empreendedorismo. Consultores do Sebrae também vão ensinar aos “futuros empresários”, como montar um plano de negócio.

A coordenadora do Patronato Penitenciário de Campo Grande, Marisa Delalíbera, ressalta que o objetivo da parceria é oferecer melhores condições de re-inclusão social. “Para que eles retornem ao meio social de forma melhor, é preciso investir em conhecimento”, diz. “Esta capacitação vai abrir portas no futuro. Eles poderão, inclusive, pleitear crédito para iniciar uma atividade lucrativa com muito mais segurança”, completa.

De acordo com a gestora do projeto Nascer Bem do Sebrae/MS, Lucielle Lima, foram escolhidos 30 internos que têm um perfil voltado para o empreendedorismo. “A expectativa é excelente porque muitos já têm uma profissão definida, inclusive alguns possuem o seu próprio negócio informal, como oficina mecânica e mercearia”, conta. Na opinião da gestora, esta iniciativa também é importante para o grupo devido à dificuldade, que muitas vezes acontece, em conseguir um emprego formal. “Assim, eles podem iniciar um negócio com mais garantias de sucesso”, avalia.

O termo de parceria entre a Agepen e o Sebrae será assinado hoje (21), pouco antes de iniciar a capacitação. As palestras acontecerão das 19 às 22 horas, no Ceati (Centro de Treinamento do Sebrae).

O programa Nascer Bem já foi desenvolvido com internas do semi-aberto feminino de Campo Grande, obtendo resultados positivos, inclusive com histórias de internas que abriram o seu próprio negócio. “Esta é uma ação que gera a ressocialização dos internos, vamos acompanhar, monitorando os empreendimentos que nascerem desta iniciativa”, informa a gerente da Unidade de Atendimento Individual do Sebrae, Leandra Oliveira da Costa.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS