Campo Grande Sábado, 18 de Maio de 2024



Esporte Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008, 07:06 - A | A

Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008, 07h:06 - A | A

Bruno Senna negocia com Force India e Mclaren

Redação Capital News (www.capitalnews.com.br)

Bruno Senna revelou ao Tazio nesta terça-feira que, embora a Force India tenha reiterado há uma semana e meia que seus pilotos serão Adrian Sutil e Giancarlo Fisichella, a dupla para 2009 ainda não está totalmente definida.  O brasileiro, 25 anos, então, negocia com o time. Ele tenta uma vaga de titular na Force India por meio da McLaren, nova parceira técnica dos indianos, e com próprio Vijay Mallya.

"As portas da Force India não estão 100% fechadas. Eles anunciaram há algum tempo que Fisichella e Sutil andariam, mas eles têm de negociar com pessoal de Mercedes-Benz e McLaren", disse Bruno, em entrevista exclusiva. O sobrinho do tricampeão Ayrton Senna, porém, ainda aguarda a definição do futuro da Honda, equipe que está à venda desde anúncio da saída da montadora japonesa da F-1. Ele era favorito a um lugar antes da decisão de retirada.

"[A conversa] continua bem ativa com a Honda, qualquer que seja o nome dela no próximo ano. Ainda temos conversado bastante com Nick Fry e Ross Brawn [dirigentes do time de Brackley]. Parece que a possibilidade de existir um comprador é muito boa. Mas eles não nos revelaram quem seriam os compradores em potencial", afirmou. "Eles estão procurando alguém que mantenha a equipe nos próximos três anos."

O empresário Carlos Slim, dono da Telmex, é um dos interessados. A companhia mexicana dirige a Embratel, patrocinadora pessoal de Bruno. Mas o piloto não sabe se essa ligação pode ajudá-lo. "É difícil dizer, porque, obviamente, a Telmex também tem pilotos dela, mexicanos. Apesar de ser piloto da Embratel, não sei qual é o esquema deles. Espero que tenha algo a meu favor, mas será mais de acordo com performance", afirmou.

Bruno não está disposto a levar dinheiro de patrocinadores para equipes como a Toro Rosso, e por isso não conta muito com essa opção. "A Toro Rosso é a mesma coisa do começo. Eles estão procurando piloto com dinheiro para andar lá. Não fomos atrás desse tipo de coisa. Não tínhamos dinheiro desde o começo para isso", declarou.

"Tivemos uma conversa com eles para saber se eles tinham interesse de fazer um teste comigo, mas eles querem fechar [o aspecto financeiro], eles não têm interesse em fazer teste se não estiver fechado para 2009. Isso quer dizer que quem pagar leva, basicamente."  Para o vice-campeão da GP2, Takuma Sato e Sébastien Buemi são os pilotos que têm mais chances na escuderia "B" da Red Bull: "Acho difícil existirem dois pilotos com todo o 'budget' [orçamento] que eles pedem. Então, acho provável que, se Sato aparecer com metade do 'budget', é a melhor opção para eles. Buemi, sendo piloto da Red Bull, seria opção natural".

Bruno não descarta continuar na GP2 e ser terceiro piloto na F-1, como fez o compatriota Lucas di Grassi neste ano: "O que faria é ser piloto de testes, por mais que a possibilidade de testar esteja muito limitada, mas estar ligado a uma equipe de F-1 e ao mesmo tempo fazer GP2".  Nesse caso, o objetivo seria ser reserva do time dirigido por Ron Dennis. "Para mim, uma opção muito boa seria a McLaren, mas não sabemos como está essa alternativa", disse. A situação, porém, poderá mudar se a Honda não for vendida a tempo. Bruno escutou de uma fonte que está na F-1 que, se isso acontecer, existe, sim, chance de equipes terem três carros em 2009. (Fonte: Tazio-UOL)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS