Campo Grande Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Esporte Sábado, 22 de Novembro de 2008, 09:41 - A | A

Sábado, 22 de Novembro de 2008, 09h:41 - A | A

Bruno não quer comparações com Ayrton Senna

Redação Capital News (www.capitalnews.com.br)

Fórmula 1

Bruno Senna não escondeu o entusiasmo após os seus primeiros testes na F-1 com a Honda, nesta semana, em Barcelona. No entanto, o brasileiro deixou claro que quer evitar qualquer comparação com o tio, o tricampeão Ayrton Senna, morto em 1994, depois de um acidente durante o GP de San Marino.

O piloto insistiu em dizer que deseja ser reconhecido por seus resultados e não por ser sobrinho de Ayrton. Senna participou do "vestibular" promovido pela equipe japonesa na pista catalã. O vice-campeão da GP2 disputa uma vaga no time nipônico com o compatriota Lucas Di Grassi, que também treinou com a escuderia em Montmeló.

Bruno terminou a quarta-feira (19) na oitava colocação e ficou a quase três décimos do tempo registrado por Jenson Button, titular da Honda.

"Foi muito divertido", destacou Senna, em entrevista ao site oficial da F-1, nesta sexta-feira (21). "Realmente gostei do meu desempenho", completou.

"O carro é uma evolução enorme em relação ao GP2, tem uma caixa de câmbio melhor, assim como o motor e o acerto aerodinâmico. Tudo, na verdade, é um passo à frente. É muito difícil de explicar por que um piloto leva tempo para se adaptar ao carro. O fato é que a expectativa que se tem muda. É bastante diferente", acrescentou.

"Existem muitas opções e, no início, é mais trabalhoso, mas você logo se acostuma com os procedimentos. Na verdade, achei tudo surpreendentemente fácil. De alguma maneira, você entra no carro e sabe onde estão os botões e o que fazer com eles", revelou.

"Posso dizer que foi uma excelente primeira tentativa. A Honda só me pediu para me envolver com o carro e construir uma ligação com o time. Foi o meu primeiro teste, ainda há um longo caminho a percorrer, mas se eu conseguir estrear na F-1, será algo muito especial para mim, porque será fruto do meu trabalho. Ninguém espera que eu seja o Ayrton. Sou o Bruno. E é assim que vejo tudo isso", encerrou.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS