Campo Grande/MS, Domingo, 12 de Julho de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sexta-Feira, 08 de Setembro de 2017, 12h:48
Tamanho do texto A - A+

Segurança Pública despreza ameaças a agentes penitenciários, diz sindicato

Reclamação foi feita por meio de nota enviada à imprensa

Laura Holsback
Capital News

O Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária (Sinsap) emitiu comunicado à imprensa acusando setores responsáveis pela Segurança Pública do Mato Grosso do Sul de estar desprezando ameaças de mortes que parte da classe de trabalhadores vem sofrendo.

 

Divulgação/SEJUSP

Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública - SEJUSP

Sindicalista aponta Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) de não tomar providências

De acordo com as informações, os servidores penitenciários vivem em clima de tensão dentro e fora dos presídios. O pânico teria aumentado ainda mais depois que apareceu lista com nome de cinco agentes que estariam na mira de facção criminosa.


O sindicato garante que tem acompanhado a situação e cobrado uma postura da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e da Secretária de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), para que haja um amparo a esses profissionais.


“Desde quando houve a lista citando os nomes dos servidores, nós cobramos um respaldo oficial. Agora que voltamos a ter agentes ameaçados, percebemos que a Instituição ainda não adotou nenhum procedimento para notificar oficialmente esses trabalhadores”, destaca o presidente do Sinsap, André Luiz Santiago.

André também reclama que os setores estariam agindo com descaso. “Não é a primeira vez e nem será a última que nos tornamos alvos de criminosos, por simplesmente exercermos a nossa função de proteger o Estado e garantir a segurança nos presídios. A Agepen não tem tomado as medidas necessárias para garantir a segurança desses trabalhadores. O que demonstra o total descaso com a vida e segurança do servidor. O agente tem direito de saber oficialmente que ele está sendo ameaçado e o Estado tem a obrigação de ampará-los”, enfatiza o presidente.

O sindicalista ressalta, ainda, que em MS não existe um protocolo de segurança e procedimentos para situações de risco à segurança pessoal de servidores do Sistema Penitenciário.

Por causa do ponto facultativo decretado pelo governo em razão do feriado de 7 de Setembro, a reportagem não conseguiu contato na Agepen e Sejusp.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix