Campo Grande Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Rural Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008, 13:15 - A | A

Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008, 13h:15 - A | A

Pecuária de corte: Custos da atividade sobem 30,5% no ano

Da Redação

O Custo Operacional Efetivo (COE) da pecuária de corte apresentou alta de 1,33% em agosto, acumulando elevação de 30,56% nos oito primeiros meses de 2008. Dos dez estados que fazem parte da pesquisa, Rondônia foi o estado com a maior variação do COE neste ano, de 40,95%, seguido por Paraná (40,84%) e Pará (35,77%). As informações fazem parte do estudo "Ativos da Pecuária de Corte", publicação elaborada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea/USP).

A pesquisa aponta também que o Custo Operacional Total (COT) em 2008 aumentou 26,93% na média nacional. Em agosto, o COT subiu 1,56%. Entre as regiões pesquisadas, a maior expansão foi verificada no Paraná, onde os custos totais subiram 36,37%. Os insumos para construção e manutenção de cercas foram os que mais aumentaram: de julho para agosto, tiveram alta de 6,33%, na média Brasil, que inclui os Estados de GO, MS, MT, PA, PR, RO, RS, SP MG e TO, acumulando elevação de 26,63% no ano - quarto componente com maior aumento no COT.

A suplementação mineral, que representa cerca de 21% dos custos totais de agosto, seguiu o movimento de alta em quase todos os Estados - a exceção do Paraná. Na média, a valorização foi de 2,8%, de julho para agosto, acumulando reajuste de 92,7%. Sementes forrageiras também tiveram reajuste em agosto (3%, em média) motivado pela demanda no período que antecede a estação de chuva, tornando-se o segundo insumo com maior aumento no mês. De janeiro a agosto, o reajuste deste item é de 19,2%.

O bezerro foi o único item que teve queda nos preços em todos os Estados desta pesquisa, de 2,67%, de julho para agosto. A baixa esteve atrelada à diminuição da procura desses animais no período de estiagem. Já a arroba do boi gordo teve valorização de 26,35% na média Brasil. O levantamento da CNA e do Cepea aponta que os pecuaristas de Rondônia tiveram a maior alta nos preços pagos pelo boi, que chegou a 38,51% de janeiro a agosto deste ano. (Fonte: BDO)
.
 

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS