Campo Grande/MS, Terça-Feira, 05 de Julho de 2022 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Quinta-Feira, 10 de Fevereiro de 2022, 12h:13
Tamanho do texto A - A+

Classificação federal: Mato Grosso do Sul tem 33 municípios em estado de emergência por estiagem

Portaria foi publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira

Elaine Silva
Capital News

Deurico/Capital News

Foto ilustrativa de rural, imposto territorial rural, itr, estiagem, cerca, pasto

Essa situação de emergência acontece em 33 municípios de Mato Grosso do Sul

Foi reconhecido pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional, a situação de emergência em 33 municípios de Mato Grosso do Sul por conta da estiagem. A portaria foi publicada na edição desta quinta-feira (10) do Diário Oficial da União. 

 

Conforme o documento assinado pelo secretário Alexandre Lucas Alves, os município são Amambai, Angélica, Antônio João, Aral Moreira, Bataguassu, Batayporã, Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Caracol, Coronel Sapucaia, Deodápolis, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Eldorado, Iguatemi, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Japorã, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Naviraí, Nioaque, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Porto Murtinho, Sete Quedas e Taquarussu.

 

Decreto estadual de situação de emergência nos 79 municípios já permitiu que 902 apólices do PSR (Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural) e do ProAgro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária) fossem acionadas para reduzir os prejuízos causados nas lavouras de soja e milho no Estado. As 902 apólices de seguro já acionadas somam R$ 104,83 milhões. Ao todo, Mato Grosso do Sul conta com 6.611 apólices ativas no PSR e ProAgro, que representam R$ 4,196 bilhões. 

 

Conforme o levantamento feito pela Aprosoja, a escassez de chuvas já fez com que a estimativa de safra 2021/2022 em Mato Grosso do Sul fosse revista, de 12,773 milhões de toneladas para 12,164 milhões. De acordo com o Mapa, dos 3.514.600 hectares de lavoura de soja plantados no Estado, 949.434 hectares estão segurados, que representam 27%. No milho, são 3.099 hectares segurados, de um total de 19.200 ha. Os dados ainda podem sofrer ajustes.

 

Perdas 

Estiagem provocou perdas de pelo 1 milhão de toneladas de grãos na safra de soja 2021/2022 em Mato Grosso do Sul.  Os dados apontam que, apesar da área ficar em 3,7 milhões de hectares, a produção total da soja será de apenas 11,4 milhões de toneladas. A média de rendimento estimada que era de 56 sacas por hectare caiu para 50 sacas por hectare.

 

A estimativa é da Aprosoja-MS e do Sistema Siga da Famasul , que fecharam esta semana um novo relatório sobre as condições das lavouras de soja. “MS passou por problemas hídricos severos e até por isso deu-se a decretação de emergências nos municípios, diante da irregularidade de chuvas. Esta semana fizemos nova avaliação junto com Aprosoja-MS e os resultados foram preocupantes. Sabemos que há anos a produção de soja vem expandindo. A estimativa inicial com estes 3,7 milhões de hectares plantados considerando 56 sacas por hectares representaria 12,7 milhões e toneladas de grãos. Na primeira avaliação o volume caiu para 12 milhões de toneladas com recuo de 700 mil toneladas. Mas na última semana tivemos uma piora significativa das condições da soja, inclusive com a ampliação além daquelas áreas mais críticas da região sul do Estado”, segundo o secretário de Meio Ambiente, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck. 

 

Situação de Emergência 

Após reunir-se com as diretorias da Famasul e Aprosoja, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), decretou situação de emergência nas 79 cidades do Estado, em função da seca e estiagem.

 

“Desde o mês de dezembro, estamos monitorando a questão da estiagem e seca prolongada em Mato Grosso do Sul. Estamos com volume de chuvas muito pequenas, que trazem grandes problemas em todo Estado, por isso decretamos a situação de emergência”, explicou o governador.

 

 A situação de emergência pelo prazo de 180 dias autoriza a Administração Direta e as entidades (indiretas) do Poder Executivo a destinar recursos humanos, financeiros e materiais, assim como veículos e equipamentos para auxílios em abastecimento de água para consumo humano e aos animais.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix