Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 20 de Outubro de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Quarta-Feira, 08 de Setembro de 2021, 16h:39
Tamanho do texto A - A+

Casos de “vaca louca” impactam exportações em Mato Grosso do Sul

Semagro alerta que casos são atípicos e não representam risco ao Brasil

Lethycia Anjos
Capital News

Portal MS

boi, nelore

Dois casos foram registrados no Brasil

O Brasil confirmou dois casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), popularmente conhecida como doença da “vaca louca”. Com a confirmação, a Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), emitiu um comunicado anunciando que mesmo com os casos o país mantém sua classificação como país de risco insignificante para a doença.

 

Governo MS/Arquivo

ColunaMarcoEusébio

Jaime Verruck

Titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck explica que os casos atípicos foram registrados durante inspeção de ante-mortem, o que significa que vacas de descarte que apresentavam idade avançada. “Não há risco para a saúde humana e animal”, enfatizou.

 

Após a confirmação dos casos, no dia 3 de setembro, o Brasil notificou oficialmente à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), seguindo as normas internacionais. Conforme a Semagro, as exportações brasileiras de carne bovina permanecem normais, exceto para a China, que suspendeu importações da carne bovina brasileira até que as autoridades finalizem a avaliação das informações repassadas sobre os casos, a medida foi baseada nos protocolos sanitários firmados entre os dois países.

 

Principal parceiro comercial de Mato Grosso do Sul, a China contribuiu para o avanço em 16,7% do número das importações entre os meses de janeiro a agosto de 2021, se comparado ao mesmo período do ano passado. De acordo com a Semagro, a carne bovina é o terceiro produto mais exportado pelo Estado, o que corresponde a 12,8% da participação da balança comercial, com aumento de 26% em 2021.

 

Jaime Verruck ressalta que a paralisação das exportações para a China impactam diretamente no preço da arroba do boi paga ao produtor, tendo em vista a importância econômica da China. “A situação está sob controle com as medidas adotadas, mas a suspensão da China deve ter impacto no mercado local. Esperamos que as autoridades chinesas retomem ainda esta semana as exportações”, afirmou.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix