Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Polícia Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008, 17:23 - A | A

Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008, 17h:23 - A | A

Jovem de 17 anos é assassinado em Mundo Novo

Da redação (LM)

Ontem à noite, por volta de 21h, dois jovens de Mundo Novo foram baleados, no estádio municipal da cidade. Clayton da Silva, 17 anos, caiu e morreu na escadaria da arquibancada e o colega dele - Wellington Sales da Silva, 23 anos, fugiu, mas foi baleado nas costas e nas mãos, enquanto saia da praça esportiva, rumo à avenida Campo Grande.

O corpo de Clayton só foi localizado por pessoas que passaram pelo estádio e viram o corpo sem vida, na alvorada do dia. Após receber o chamado, a Polícia Civil foi ao local, para atender a ocorrência e encontrou o corpo, que foi localizado e encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Naviraí, onde chegou por volta de 11h.

Cayton, residente no bairro São Jorge, em Mundo Novo, foi encontrado com o sinal de dois tiros disparados contra a cabeça e contra as costas, através de um revólver, de calibre não identificado.

Welington Sales da Silva, 23 anos, foi ferido à tiros, com balas de revólver de calibre não identificado. Ele foi atingido nas costas e na mão e logo em seguida caiu na rua. Populares avisaram a Polícia Militar, que atendeu a ocorrência e pediu a ajuda do Corpo de Bombeiros, que encaminhou a vítima para o Hospital Bezerra de Menezes, pelo Corpo de Bombeiros.

De acordo com o Serviço de Investigações Gerais da Delegacia de Polícia Civil, Wellington disse que ele e Clayton estavam fumando, na arquibancada, quando três elementos (já identificados, mas com nomes ainda não revelados para a imprensa) chegaram armados.

Após uma rápida conversa entre os cinco envolvidos no crime, um menor (17 anos, há alguns dias para se tornar maior) sacou da arma e atirou contra Clayton, que caiu na arquibancada e morreu em seguida. Para tentar escapar com vida, Wellington disse que aproveitou a queda, o sangramento e a escuridão para se fingir de morto.

Após sentir que os três elementos tinham se afastado, Wellington levantou e correu até uma oficina, onde pediu o socorro para populares, que ligaram e pediram ajuda para a Polícia Civil e para a Polícia Militar.

Wellington não contou para os policiais que seu colega (Clayton) havia sido baleado e acreditam que ele tenha tido medo de repassar a informação. O Serviço de Investigações Gerais (Sig) trabalha com a hipótese de que os crimes de homicídio e tentativa de homicídio tenham ocorrido devido ao acerto de contas, devido à venda de drogas.

Os policiais civis e militares de Mundo Novo prosseguem em diligências, visando a prisão dos dois acusados e do menor que atirou contra Clayton. O corpo dele, após ser liberado, deve ser transladado de volta para Mundo Novo, para que os familiares dele providenciem o velório e o sepultamento. (Sul News)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS