Campo Grande Quarta-feira, 22 de Maio de 2024



Esporte Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2008, 15:32 - A | A

Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2008, 15h:32 - A | A

Ronaldo se apresenta ao Timão em clima de festa

Da Redação (JG)

Em meio a toda a pompa de sua apresentação oficial ao Corinthians, no fim da manhã desta sexta-feira, em uma entrevista coletiva muito concorrida no Parque São Jorge, o atacante Ronaldo fez questão de ressaltar que chega ao clube para ser "mais um", sem nenhum privilégio, e disse não acreditar que sua presença possa criar clima de ciúme no elenco.

Além de mais de 300 jornalistas do Brasil e do exterior --até a TV Al Jazira, do Qatar, estava lá--, torcedores encheram as arquibancadas da Fazendinha para receber o atacante, tratado como uma das principais contratações da história do time. Até a tradicional sirene foi reativada para anunciar a chegada do astro.

"Eu nunca tive este tipo de problema em clube nenhum e nem na seleção. Já liguei para o Mano [Menezes, técnico corintiano] e deixei bem claro que sou somente mais um que está chegando, com direitos e deveres iguais. Não terei privilégios em relação a nenhum jogador", disse Ronaldo nesta sexta.

Antes mesmo de o Corinthians acertar a contratação do atacante a diretoria já se preocupava em não melindrar os outros jogadores e não permitir que isso gerasse reação adversas no grupo.

O jogador, inclusive, disse acreditar que terá que ser até mais esforçado que seus companheiros porque também será mais cobrado.

"Tenho total consciência de que serei o mais cobrado nos treinos e nos jogos e não vou fugir dessa responsabilidade", afirmou o atleta de 32 anos, que ainda se recupera de uma cirurgia no joelho esquerdo realizada em fevereiro, quando era atleta do Milan.

Os vencimentos de Ronaldo são a maior preocupação dos cartolas para evitar a "ciumeira". Ele deve receber cerca de R$ 400 mil mensais, entre salário em carteira e direitos de imagem. O restante de sua renda, que pode chegar a R$ 15 milhões em um ano, virá da exploração de novos patrocínios na manga da camisa e no calção.

"O Ronaldo vai ganhar 20% a mais que o teto. São 30, 40 jogadores e sei que é difícil manter a união, mas o que quero dizer é que nenhum jogador é mais importante que o outro", falou o presidente Andres Sanchez.

Também para evitar problemas, outra medida foi compartilhar o fisioterapeuta Bruno Mazziotti que, a princípio, seria só do atacante. Segundo o médico Joaquim Grava, consultor do clube, o salário de Mazziotti será pago pelo Corinthians. "Não pode ter tratamento diferenciado para não gerar ciúme", disse. (Folha On Line)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS