Campo Grande Sexta-feira, 24 de Maio de 2024


Esporte Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008, 18:03 - A | A

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008, 18h:03 - A | A

Punições mais pesadas para torcedores baderneiros

Redação Capital News (www.capitalnews.com.br)

As ocorrências de violência dos últimos jogos do Campeonato Brasileiro 2008 é algo que preocupa autoridades e os próprios torcedores. Para inibir ações desse tipo, estuda-se a possibilidade de estabelecerem-se punições mãos severas para aqueles que causarem tumultos.

Uma comissão do Ministério da Justiça recebeu em Brasília, um anteprojeto que prevê essas punições para atos de vandalismo associados a eventos esportivos.

Entre as sugestões, estão a perda do mando de campo por, no mínimo, seis meses para os clubes e o afastamento dos estádios por até cinco anos de torcedores envolvidos em casos de agressão. Na melhor das hipóteses, as mudanças seriam aprovadas pelo Congresso em março de 2009.

De acordo com o promotor Paulo Castilho, do Ministério Público de São Paulo, o objetivo da proposta seria prevenir tumultos antes, durante e depois das partidas. “As torcidas terão a obrigação de cadastrar todos os seus membros”, disse. Ele ainda explicou que os torcedores serão denunciados individualmente, como parte de um grupo jurídico, no caso, as torcidas organizadas. Além disso, a atuação de cambistas também seria uma prática a ser combatida.

Atualmente, a pena máxima prevista pelo Estatuto do Torcedor é de dois anos de afastamento dos estádios para os envolvidos em casos de violência no futebol. Segundo o promotor, as punições de perda do mando de campo deverão sofrer maior rejeição dos clubes. Estão previstas também penas criminais aos organizadores em casos como o do desabamento da arquibancada da Fonte Nova, há um ano, que resultou na morte de sete torcedores.

A proposta ainda conta com um estudo que revela ser a violência o motivo mencionado por 79% dos torcedores que deixaram de ir aos estádios de futebol. “Além de punições menos brandas, as propostas têm o objetivo de reforçar a prevenção à violência”, finalizou Castilho. (Fonte: Cidade do Futebol)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS