Campo Grande Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Cultura e Entretenimento Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008, 12:27 - A | A

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008, 12h:27 - A | A

Rota Cine MS encerra exibições de 2008 em Porto Murtinho

Da Redação (JG)

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul vai a Porto Murtinho com o projeto Rota Cine MS, do dia 26 a 30 de novembro, com uma programação especial para concluir a circulação da iniciativa em 2008. O evento tem como parceiros a Prefeitura Municipal de Porto Murtinho e a Secretaria de Turismo do município e acontece no Cine-Teatro Murtinhense que fica na rua Pedro Celestino s/nº, no centro. As exibições irão acontecer no período matutino a partir das 7h30, durante a tarde a partir das 13h30 e à noite, a partir das 19h30.

O Rota Cine MS visa democratizar o acesso às produções cinematográficas por meio de exibições públicas e gratuitas em cidades que não têm salas de cinema. “Levar o cinema às comunidades do interior, que não têm o acesso ao cinema, é uma das nossas metas, principalmente exibir filmes brasileiros para que as pessoas se vejam na tela. O resultado do Rota Cine MS superou nossas expectativas em público e em entusiasmo, dando uma clara demostração de que o povo quer ver arte”, comemorou o diretor-presidente da FCMS, Américo Calheiros. Escolas e projetos sociais de Porto Murtinho também são parceiras do evento que vai levar uma série de filmes infantis, comédias brasileiras e filmes regionais como “Caá – a Saga da Erva Mate”,” Terra das Águas” e “Arigatô”.

 

“Caá – a Saga da Erva Mate”, conta a história do ciclo da erva-mate no Estado e aborda a construção da identidade cultural sul-mato-grossense. Foi produzido em 2005, com direção de Lú Bigatão e duração de 50 minutos.

 

“Terra das Águas” é um documentário dirigido por Rosiney Bigattão que oferece um retrato da influência da água na vida do peão pantaneiro. Mais do que nas imagens e cenas de beleza natural, a equipe se concentrou nas histórias de vida, procurando mostrar, em 58 minutos de duração como o pantaneiro vive, o que pensa, os sonhos que carrega e as mudanças que alteram rapidamente séculos de tradição.

 

"Arigatô - um olhar sobre a imigração japonesa em Campo Grande" é um documentário que foi realizado durante os meses de maio a dezembro de 2005, com recursos do FMIC (Fundo Municipal de Incentivo à Cultura), da Prefeitura de Campo Grande, por meio de um convênio entre a Associação Nipo Brasileira e a Fundação Municipal de Cultura (Fundac). Ele foi produzido e dirigido pela jornalista Maristela Yule e lança um olhar sobre a história da imigração japonesa e sua influência na formação da cultura local. Esse olhar se materializa através de depoimentos de imigrantes e seus descendentes e também de pessoas que acompanharam de perto essa trajetória.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS