Campo Grande Quarta-feira, 29 de Maio de 2024


Cotidiano Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008, 07:05 - A | A

Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008, 07h:05 - A | A

SED realiza ações para a educação de deficientes visuais

Da Redação (JG)

A educação sempre foi um desafio. A descoberta das palavras, o fascínio por conseguir somar 2+2, as aventuras pela História e dentro do corpo humano. Para isso, o material didático é uma importante ferramenta no aprendizado, servindo de fonte de consulta e de baú do conhecimento.

Para os deficientes visuais, que também desejam aprender e melhorar de vida, o acesso aos livros é complexo, devido às alterações necessárias para que eles sejam úteis. Nesse sentido, o Centro de Atendimento Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP-DV), ligado a Secretaria de Educação (SED), facilita esse acesso aos livros, graças à tecnologia.

Em 2008, o CAP-DV traduziu 11 livros para a linguagem mundial do Braile. Já a ampliação da tipologia das letras, foram 50 exemplares. Esses atendimentos demandam tempo, estrutura física, materiais específicos e pessoal capacitado.

“Um livro impresso de 150 páginas quando é ampliado passa a ter, em média, 3 mil páginas. Cada página feita com tinta [impressa] gera três páginas em Braile. Por isso, a demanda às vezes é imensa, mas atendemos dentro das possibilidades do CAP-DV”, explica Claunice Dornelles, coordenadora do centro.

A linguagem Braile foi criada pelo francês Luis Braile há mais de 100 anos, e utiliza 63 tipos para representar letras, números e sinais gráficos. Uma curiosidade: no idioma francês utiliza-se a letra Ò (ó craseado); como em português não se usa essa terminologia, convencionou-se como sendo a letra W (dáblio).

O CAP-DV realiza ampliação de provas, apostilas, tablóides comerciais e auxilia o Tribunal Regional Eleitoral, na época das eleições, com a relação de nomes e números dos candidatos. Além disso, há também cursos (que já atenderam 424 pessoas) e palestras com universitários.

Com o intuito de sociabilizar e melhorar a qualidade de vida dos deficientes visuais, foi criada uma associação, que desenvolve uma série de atividades culturais e sociais com os cegos, como aulas de dança do ventre, pintura e música.

O Centro de Atendimento Pedagógico ao Deficiente Visual está localizado na Rua da Paz, 214, Jardim dos Estados, no prédio da Escola Estadual Lúcia Martins Coelho. Mais informações pelo telefone (67) 3314-1207.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS