Quarta-feira, 29 de Maio de 2024


Cotidiano Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2008, 17:23 - A | A

Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2008, 17h:23 - A | A

Marçal de Souza vai ter melhorias e nova cacique é mulher

Da redação (LM)

O governador André Puccinelli anunciou, hoje (22) durante a posse da primeira cacique mulher de Mato Grosso do Sul, Enir da Silva Bezerra, na Aldeia Urbana Marçal de Souza, em Campo Grande, que irá reativar a rádio comunitária indígena, que funcionava no local. “Já está dada a ordem para fazer o que for necessário para reativar a rádio e vamos colocar um guarda na segurança. A aldeia urbana é uma mostra de Campo Grande e Mato Grosso do Sul para o mundo. Nos paises onde eu vou, convido para virem conhecer”, afirma.

Em seu discurso, Puccinelli lembrou que a aldeia ficava numa área de cinco hectares no bairro Desbarrancados e, inicialmente, acreditava que tinha sido invadida pelos índios. “Depois descobrimos que a área pertencia à Funai”, conta. Para o governador, é importante a integração dos índios com a sociedade. “Eles devem ter os mesmo direitos e oportunidades que os brancos, como saúde e educação, mas com a manutenção da cultura”, explica ele.

Para o governador, o fato de uma mulher ter sido eleita cacique mostra que o mundo caminha para a igualdade social. “Em 1937, a mulher começou a votar nas eleições e agora temos uma mulher cacique. Fico muito feliz!”, comenta Puccinelli, lembrando que estará pronto para atender às reivindicações da comunidade indígena.

A cacique tem 53 anos e foi uma das fundadoras da Aldeia Urbana Marçal de Souza, que tem 135 famílias. Enir foi eleita por votação direta, no dia 30 de novembro, e venceu a com 134 dos 277 votos da aldeia. Participaram da escolha maiores de 16 anos, que votaram por meio de cédula, em papel, depositada em urnas. Dois outros índios também concorreram ao cargo. Enir permanece como cacique por um período de três anos.

Metas

As principais metas, conforme Enir, são as obras de infra-estrutura como asfalto, saneamento básico e a construção do centro comunitário. A cacique também irá fortalecer o trabalho com os jovens, para evitar o alcoolismo e as drogas. “Aqui não há esse tipo de problema, muito comum nas aldeias indígenas, mas queremos fazer uma ação preventiva”, afirma.

Para Enir, o trabalho na comunidade deverá ser conjunto, entre todos os moradores. “Vamos juntos reivindicar as necessidades da nossa aldeia, como educação e saúde”, conta.

O prefeito da Capital, Nelson Trad Filho, disse que já a aldeia irá receber melhorias como asfalto, que já estava previsto para o bairro. “Estamos prontos para integrar a comunidade indígena à cidade. São tempos modernos, onde a mulher começa a ocupar seus espaços”, finaliza.

Também participaram do evento, a secretária de Trabalho e Assistência Social (Setas), Tânia Mara Garib, o vereador Celso Ianase, a coordenadora estadual de Políticas Públicas para a Mulher, Carla Stephanini, além de moradores e lideranças indígenas.(Notícias MS)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS