Campo Grande/MS, Sábado, 21 de Setembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 12 de Setembro de 2019, 11h:06
Tamanho do texto A - A+

Decretado estado de emergência em nove municípios

Mais de 1 milhão de hectares em cinzas

Laryssa Maier
Capital News

Divulgação/ Portal MS

Decretado estado de emergência em nove municípios

Brigadistas do Ibama, PMA e bombeiros combatem focos de calor na Fazenda Caiman, em Miranda

 

Decretado estado de emergência parte das áreas rurais dos municípios de Aquidauana, Anastácio, Dois Irmãos do Buriti, Corumbá, Ladário, Bonito, Miranda, Porto Murtinho e Bodoquena atingidas pela propagação do fogo sem controle. Considera o mês de setembro como o mais crítico para a ocorrência de incêndios florestais, devido à prolongada estiagem, a baixa umidade do ar e alertas de ondas de calor para o Estado com alto risco à população.

 

O Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (12.) publica, às páginas 8 e 9, o decreto nº 58 de Situação de Emergência assinado pelo governador Reinaldo Azambuja. A medida visa garantir recursos e apoio do governo federal com intuito de uma resposta urgente ao controle dos incêndios florestais em áreas legalmente e ilegalmente preservadas, com base nos indicadores estatísticos do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). 

 

Uma estimativa do órgão aponta a queima de 1 milhão de hectares entre os meses de agosto e setembro, a maioria no Pantanal e Serra da Bodoquena.

 

Acarretando diversos problemas de saúde, o aumento expressivo de atendimentos nas unidades básicas, por causa das doenças relacionadas à qualidade do ar, havendo registro de incidência pacientes com problemas respiratórios.

 

A situação de emergência vigorará pelo período de 180 dias e autoriza a mobilização de todos os órgãos da estrutura administrativa do Governo do Estado, sob a coordenação da Cedec/MS (Coordenadoria Estadual de Defesa Civil) nas ações de resposta ao desastre, reabilitação e reconstrução do cenário afetado pelas queimadas.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix