Campo Grande Quinta-feira, 30 de Maio de 2024


Cotidiano Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008, 07:23 - A | A

Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008, 07h:23 - A | A

Curso de formação de aleitamento materno começa hoje na Capital

Da redação (JG)

Para melhorar a qualidade do serviço prestado às gestantes, às mães e aos recém-nascidos, o Ministério da Saúde está fortalecendo a Rede Amamenta Brasil. Começa nesta segunda-feira (17) e vai até dia 21 de novembro as oficinas para capacitação de tutores em aleitamento materno.

A abertura terá a presença de representantes do Ministério da Saúde, que já realizam o Amamenta Brasil em outras regiões do país. Em Mato Grosso do Sul, sete municípios participam das oficinas (Campo Grande, Corumbá, Dourados, Ponta Porã, Amambai, Três Lagoas e Caarapó), com 48 participantes no total, sendo eles coordenadores municipais das Áreas da Saúde da Criança, da Atenção Básica, Saúde da Família e profissionais da Equipe de Saúde da Família Indígena, estes últimos que atuam pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Somente da capital, 17 unidades básicas de saúde da família (UBSF) estarão envolvidas nas palestras. Além disso, as aulas práticas serão realizadas nas UBSF, entre os dias 19 e 21 de novembro. “Essas oficinas serão de grande importância para todos os profissionais que atuam no atendimento das gestantes, preenchendo algumas lacunas que ainda existem”, comenta Neide da Silva Cruz, nutricionista que atua no setor de Aleitamento Materno e Saúde da Criança da Secretaria de Saúde (SES).

Neide se refere às diversas etapas envolvidas no aleitamento materno, partindo dos exames pré-natais e orientações durante a gestação, passando pelo parto e o atendimento na primeira semana do recém-nascido, e alcançando os seis meses necessários e obrigatórios de alimentação do bebê somente com o leite de mãe.

“Algumas mães sabem que precisam amamentar até os seis meses, mas não cumprem esse período. Outros fatos que parecem corriqueiros, como quando a criança regurgita ou o leite fica ‘empedrado’, devem ser acompanhados pelo serviço de saúde, para orientar sobre como atuar”, alerta Neide.

Um momento especial que pretende ser monitorado com mais precisão após a oficina é a orientação da mãe para que ela doe o leite excedente para bancos de leite. O Brasil tem hoje 190 bancos de leite, sendo assim a maior rede de bancos de leite humano do mundo.

A capacitação terá duração de 40 horas e será realizada no Hotel Jandaia, das 8 às 18h30. (Com informações da assessoria)

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS