Campo Grande/MS, Sábado, 18 de Setembro de 2021 |
27˚
(67) 3042-4141
Reportagem Especial
Terça-Feira, 07 de Setembro de 2021, 08h:00
Tamanho do texto A - A+

Independência ou morte, o dia em que o Brasil conheceu a liberdade

Um processo histórico de separação entre Brasil e Portugal

Laryssa Maier e Le
Capital News

Reprodução/EBC

Proclamação da República no Brasil: Saiba como aconteceu e porque a data é comemorada

 

O Brasil comemora nesta terça-feira, uma das datas mais importantes do país, Sete de Setembro, o dia em que comemoramos nossa independência, foi nesse exato dia, em 1822, que Dom Pedro proclamou a independência do Brasil.

 

A Independência do Brasil foi o processo histórico de separação entre Brasil e Portugal, o dia 7 de setembro de 1822, data que ficou conhecida pelo episódio do ‘Grito do Ipiranga’. Um feriado nacional, marcado por diversos acontecimentos políticos e várias comemorações públicas, em todas as cidades do País. 

 

Dados históricos apontam que antes do processo de independência do Brasil, ocorreu a transferência da corte portuguesa para o Brasil. Em 1807, o exército francês invadiu o Reino de Portugal, que se recusava a participar do bloqueio continental contra o Reino Unido. Incapaz de resistir ao ataque, a família real e o governo português fugiram para o Brasil, que era então a mais rica e desenvolvida das colônias portuguesas.

 

Após correr de ser escravizado, quando retornava ao Rio de Janeiro, Pedro recebeu a carta de José Bonifácio e de Leopoldina. Sendo informado que as Cortes tinham anulado todos os atos do gabinete de Bonifácio e removido o restante de poder que ele ainda tinha. 

 

Pedro voltou-se para seus companheiros, que incluiu sua Guarda de Honra e falou: "Amigos, as Cortes Portuguesas querem escravizar-nos e perseguir-nos. A partir de hoje as nossas relações estão quebradas. Nenhum vínculo unir-nos mais" e continuou depois que ele arrancou a braçadeira azul e branca que simbolizava Portugal: "Tirem suas braçadeiras, soldados. Viva independência, à liberdade e à separação do Brasil." Ele desembainhou sua espada afirmando que "Para o meu sangue, minha honra, meu Deus, eu juro dar ao Brasil a liberdade" e gritou: "Independência ou morte". Este evento é lembrado como Grito do Ipiranga.

 

Laryssa Maier/ Capital News

Desfile 7 de Setembro reuniu milhares de pessoas de verde e amarelo

 

Marcado pelos tradicionais desfiles cívicos-militar, em comemoração a Semana da Pátria, neste ano de 2021 é o segundo ano consecutivo que os desfiles foram cancelados, devido à pandemia do coronavírus. O cancelamento dos desfiles em todo o país foi uma recomendação no início de agosto de 2020 do Ministério da Defesa. 

 

Os membros das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), assim como acontecem desfiles de bandas e até de veteranos da Força Expedicionária Brasileira, que lutou na Segunda Guerra, se reuniam  para os desfiles. 

 

Os desfiles aconteciam desde o primeiro reinado (1822 até 1831), durante o período regencial (1831 até 1840) devido às rebeliões o feriado passa inadvertido. Somente em 1840 com a ascensão de Dom Pedro II, que ocorreu a volta da solenidade. Durante a República, a data só cresceria de importância sendo uma das festas mais celebradas. Já na Era Vargas, as escolas eram obrigadas a participar do desfile reforçando o sentimento de identidade brasileira dos cidadãos, durando até meados dos anos 90. Atualmente a participação passou a ser voluntária. 

Deurico/Capital News

Desfile cívico reúne 15 mil pessoas no aniversário de 120 anos de Campo Grande

 

 

Neste ano não tem desfile mas terá protesto, os brasileiros vão ocupar as ruas de mais de 200 cidades do Brasil e exterior em protesto, pró e contra do Governo Bolsonaro. É esperada uma multidão para protestar contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e, ao mesmo tempo, a favor do que as lideranças dos protestos chamam de liberdade de expressão no Brasil.

 

Neste ano durante o protesto também terão o Grito dos Excluídos, como tema “Na luta pela participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda já!”.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix