Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Nacional Sexta-feira, 05 de Dezembro de 2008, 17:25 - A | A

Sexta-feira, 05 de Dezembro de 2008, 17h:25 - A | A

Atrasos dos vôos regulares registra 16,6% no Brasil

Redação Capital News (www.capitalnews.com.br)

O índice de atrasos de vôos na Aviação Regular brasileira subiu em novembro, apresentando alta de 4,1 pontos percentuais em relação ao mês anterior. Os atrasos acima de 30 minutos ficaram em 16,6%, contra 12,5% em outubro. Apesar do aumento, o índice de novembro é inferior em 10,1 pontos percentuais aos 26,7% do mesmo mês em 2007 e está abaixo de todos os indicadores mensais do primeiro semestre de 2008. Os cancelamentos de vôos apresentaram queda em novembro: 2,5%, contra 3,2%, em outubro. Em 2007, no mesmo mês de novembro, os cancelamentos chegaram a 6,3%.

O aumento do índice de atrasos foi causado em grande parte pelos vôos da Gol e da Varig que, em conjunto, representaram 38% do total de vôos domésticos e internacionais em novembro. As duas operadoras tiveram, respectivamente, 21,1% e 24,2% de atrasos no mês. Em outubro, esses índices haviam sido bem menores: 15,3% para a Varig e 13,4% para a Gol. Em setembro, Varig e Gol tinham registrado os menores índices de atraso de todo o ano de 2008: 7,6% e 8,7%.

Em meados de novembro, a área de Segurança Operacional da ANAC detectou que a fusão das malhas aéreas de Gol e Varig – fruto da incorporação das duas empresas em uma única companhia aérea – causava dificuldades para a operação de seus vôos, resultando em atrasos bem acima da média das companhias. Desde então, a ANAC vem acompanhando de perto os esforços da Gol/Varig para resolver o problema e registrou que no final de novembro e início de dezembro os índices de atraso das duas linhas começaram a cair. A tendência é que a empresa gradualmente normalize essa situação nas próximas semanas.

A companhia que teve o menor índice de atrasos em novembro foi a OceanAir: 11,6%, bem menor do que os 15,1% de outubro. A OceanAir foi a única companhia que conseguiu reduzir seu indicador em relação ao mês de outubro. A TAM teve pequena alta, de 10% para 12,3%, o mesmo acontecendo com a Webjet, de 14,1% para 15%. Todas as companhias foram prejudicadas por dois fatores: aumento do fechamento de aeroportos chave por problemas de meteorologia e obras na pista do Galeão.

Em novembro, a companhia que apresentou o menor índice de cancelamentos foi a Gol, com apenas 1,6%. Os dados de atrasos e cancelamentos são levantados pela Infraero nos 67 aeroportos que a estatal administra. TAM, Gol/Varig, OceanAir e Webjet detêm juntas cerca de 98% do mercado doméstico brasileiro.

cid:image001.png@01C956F9.0DBFD150

 

Atrasos  30 min.

Total

TAM

Gol

OceanAir

Varig

Webjet

jan/08

25,0%

16,3%

32,8%

53,5%

20,5%

10,5%

fev/08

18,7%

13,8%

22,3%

31,3%

14,2%

28,4%

mar/08

20,2%

17,4%

22,7%

27,9%

19,8%

22,5%

abr/08

18,1%

14,7%

18,7%

23,4%

27,4%

17,4%

mai/08

18,0%

16,0%

20,8%

15,1%

18,4%

26,0%

jun/08

19,6%

15,5%

24,0%

12,3%

19,5%

39,9%

jul/08

15,4%

14,3%

14,4%

13,2%

15,9%

31,5%

ago/08

13,6%

13,5%

12,8%

10,8%

13,2%

17,3%

set/08

10,5%

11,0%

8,7%

9,6%

7,6%

18,6%

out/08

12,5%

10,0%

13,4%

15,1%

15,3%

14,1%

nov/08

16,6%

12,3%

21,1%

11,6%

24,2%

15,0%

 

Cancelamentos

Total

TAM

Gol

OceanAir

Varig

Webjet

jan/08

2,9%

2,0%

1,4%

9,5%

7,9%

1,4%

fev/08

2,1%

1,0%

1,3%

8,2%

6,4%

2,0%

mar/08

2,5%

1,1%

2,2%

6,9%

8,6%

3,6%

abr/08

2,4%

1,3%

1,8%

7,9%

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS