Campo Grande Quinta-feira, 30 de Maio de 2024


Esporte Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2008, 14:46 - A | A

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2008, 14h:46 - A | A

Trabalhadores atletas participarão da São Silvestre

Da Redação (LM)

 

Os trabalhadores-atletas Augusto Ramos Rolão, 21 anos, Valéria Leite Galvão, 36 anos, João Aparecido de Jesus, 43 anos, e Nilson Santana Moreira, 48 anos, estão preparando-se desde novembro para participar da tradicional Corrida Internacional de São Silvestre, que já está na 84ª edição e terá a largada em São Paulo (SP) na tarde do dia 31 de dezembro. Eles classificaram-se durante a “Corrida Sesi de Rua”, uma maratona de 10 quilômetros realizada no mês de novembro no Parque do Sóter, em Campo Grande (MS).

 

Casada e com um filho, a funcionária dos Correios de Campo Grande, Valéria Galvão, foi a única representante do Estado na categoria Sênior Feminina, mas ainda assim encontra disposição para praticar um esporte que, segundo ela, mudou a sua vida há mais de dez anos. Ela registrou o tempo de 47,44 minutos e ficou estupefata com a notícia da classificação. “Nossa, essa notícia é maravilhosa, é o sonho de todo corredor, estou muito agradecida ao Sesi por me proporcionar essa oportunidade quando eu já nem acreditava mais”, revelou animada.

Deixando dezenas de competidores para trás, o trabalhador-atleta Augusto Ramos Rolão é auxiliar de produção na União Indústria de Plásticos de Campo Grande garantiu o tempo de 32,09 minutos para se classificar. Desde quando recebeu a notícia, mesmo após as oito horas de trabalho, ainda reserva fôlego para treinar pelo menos duas horas por dias. “Nem acredito que vou para a São Silvestre, é um sonho que conquistei com o meu esforço e pretende dar o melhor de mim para representar bem o Sesi e o nosso Estado”, disse eufórico, acrescentando que tomou gosto pelo atletismo quando começou a acompanhar o irmão em provas.

Entre os dois classificados pela categoria Sênior está o auxiliar-industrial da Seara de Sidrolândia, João Aparecido de Jesus, que ficou animado por poder participar da São Silvestre. “Eu corro porque gosto, me faz bem e cuidar desse hobby me ajudou a ser uma pessoa melhor tanto física quanto psicologicamente. Agora o mais importante nessa história toda é poder ir para a São Silvestre com tudo pago, pra mim ainda é meio surreal, mas apesar disso estou treinando muito e espero ter um bom desempenho”, afirmou, contando que assiste às provas desde criança.

Também classificado pela categoria Sênior, o carteiro de Maracajú, Nilson Santana Moreira, conta que é fanático por atletismo a ponto de ter destruído um aparelho de TV. “Em 1980 quando terminou a prova e o garçom José João da Silva venceu, a TV parou de funcionar e eu achei que fosse o aparelho, fiquei tão nervoso porque ele havia quebrado um jejum de 34 anos sem títulos de brasileiros na corrida e eu não estava podendo ver a comemoração que joguei o aparelho pelo muro, depois mais tarde vim saber que foi problema na transmissão. Então, lembrar disso e saber que estarei lá, é mais que um sonho, é a minha vida, por isso estou me dedicando ao máximo”, revelou sobre o campeão da 56ª edição da São Sivestre. (Fiems)

 

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS