Campo Grande Segunda-feira, 27 de Maio de 2024


Cotidiano Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008, 18:20 - A | A

Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008, 18h:20 - A | A

Conferência quer discutir criação de plano nacional de segurança pública

Da Redação (JG)

Na última segunda-feira (8), o Ministério da Justiça mobilizou a adesão dos Estados na 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública, que será realizada de 27 a 31 de agosto de 2009, em Brasília.

“O objetivo da Conseg é promover discussões e criar diretrizes para um plano nacional de segurança pública. O diálogo maduro envolvendo todos os setores da sociedade possibilitará fomentar os caminhos desse plano nacional. Com isso, a segurança pública enfim se tornará uma política de Estado e não somente uma ação de governo”, comenta Regina Miki, coordenadora-geral adjunta da Conseg.

A Conseg será realizada em etapas. Nas fases preparatórias, haverá distribuição de conteúdo, para embasar as discussões; já nas fases eletivas, serão definidos os representantes locais que participarão da conferência nacional.

“Não queremos estruturar a Conseg de forma piramidal, com os municípios precisando necessariamente se reportar ao Estado. A discussão deve ser livre e a proposição de ações pode partir da menor cidade do Brasil”, acrescenta Regina.

De março a maio de 2009, serão realizadas as conferências municipais sobre segurança pública. E nos meses de junho e julho, estão previstas as conferências estaduais. “Ainda que ousado, esperamos ter 300 mil pessoas discutindo segurança pública em todo o país. Dessa maneira, poderemos ampliar e modificar o paradigma de segurança pública atual, que se foca somente na ação das polícias”, afirma a coordenadora-geral adjunta da Conseg.

Regina complementa o argumento dizendo que o modelo de segurança pública em vigência data de 30 anos, e foi constatado que já não funciona a contento. “Os gestores não conseguem impor e cobrar metas. Os trabalhadores em segurança se sentem desmotivados, estão descrentes e não possuem iniciativa. E a população fica cada vez mais acuada, com medo do que possa acontecer. A Conseg irá discutir a adoção de políticas transversais, envolvendo outras áreas da segurança”, declara Regina.

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS