Campo Grande/MS, Sábado, 17 de Novembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Sábado, 30 de Junho de 2018, 10h:49
Tamanho do texto A - A+

Cheia no Pantanal exige mudanças no calendário de vacinação

Medida, em caráter excepcional, considera as dificuldades de manejo do gado no período de inundação na planície pantaneira

Flávio Brito
Capital News

A Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal (Iagro) prorrogou a vacinação contra a febre aftosa até 30 de julho e contra a brucelose até 15 de agosto, atendendo a pedido dos produtores rurais do Pantanal, onde ocorre uma das maiores enchentes em dez anos. A portaria nº 3.601, assinada pelo diretor-presidente, Luciano Chiochetta, foi publicada no Diário Oficial esta semana.

 

Silvio Andrade/Governo de MS

Prorrogada a vacinação contra aftosa e brucelose no Pantanal

Produtores da região sofre com cheia e tem dificuldades com o manejo

A medida, em caráter excepcional, considera as dificuldades de manejo do gado no período de inundação, que obrigou os pantaneiros de Corumbá a movimentar para áreas altas, até agora, mais de 1 milhão de animais. O presidente do Sindicato Rural do município, Luciano Leite, estima que mais 300 mil serão retirados das regiões do Jacadigo e Nabileque, em julho. O rebanho de Corumbá é o maior do Estado, com dois milhões de cabeças.

 

“A prorrogação é uma forma de atendermos às normas da Iagro na parte sanitária, diante das dificuldades de reunir o gado com a chegada das águas nas áreas mais ao Sul, onde esperamos uma cheia forte do rio Paraguai associada com as inundações do rio Tucavaca (Bolívia)”, explica o dirigente. “Na realidade, a situação é geral. As áreas mais altas (Paiaguás e Nhecolândia), ainda concentram muita água e o produtor não consegue trabalhar o gado.”

 

Com a ampliação do calendário de vacinação no Pantanal (referente a etapa de maio), segundo a portaria da Iagro já em vigor, os produtores terão até 15 de agosto para o registro do rebanho vacinado. A alteração foi pleiteada pela Federação de Agricultura e Pecuária (Famasul) e Sindicato Rural de Corumbá, com anuência da Superintendência Federal de Agricultura (SFA/MS), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix