Sexta-feira, 24 de Maio de 2024


Polícia Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008, 09:55 - A | A

Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008, 09h:55 - A | A

Preso que sumiu em rebelião se escondeu em forro

Da redação, Capital News (www.capitalnews.com.br)

Após a rebelião ocorrida no dia de Natal, dois presos sumiram do Instituto Penal de Campo Grande. Um deles, que não teve o nome revelado, estava em outra cela e foi descoberto na contagem. O outro, Hércules Soares, só apareceu ontem (28), depois de ficar três dias escondido entre o forro e o teto do estabelecimento.

Quando começou o motim, Hércules Soares resolveu se esconder no forro, com medo dos outros presos. O detento estava no seguro, área determinada para os internos que podem ser atacados por outros detentos, por conta do crime cometido (como estupro, por exemplo) ou por ser 'X-9', o que identifica um delator.
Soares não contou com ajuda de nenhum preso. Com fome e sede, entregou os pontos e desceu ontem. Por enquanto, o preso permance no IPCG e não há definição se pode ser transferido para outra unidade penal.

A rebelião começou por volta das 17 horas do dia 25 de dezembro, depois de uma briga entre presos do Pavilhão 2. Uma hora depois do início da rebelião, às 18 horas, a Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) invadiu a penitenciaria para tentar controlar o motim. Houve tumulto. Alguns preços atiraram pedaços de pau e pedra contra os policiais, que revidaram fazendo vários disparos para dentro do presídio com balas de borracha.

A maioria dos visitantes conseguiu sair do presídio antes da rebelião. Por volta das 20h30, a Polícia Militar e a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen). Por conta do motim, as visitas do IPCG serão divididas por pavilhões, em dois dias – sábado e domingo – a exemplo do que é feito no Segurança Máxima. (TV Morena)

 

Comente esta notícia


Reportagem Especial LEIA MAIS